Lembra-se dos dois presos mais famosos da América que protagonizaram uma fuga da prisão por um túnel e deixaram um bilhete aos guardas? Foragidos há mais de três semanas, os dois fugitivos foram já encontrados pelas autoridades. Um deles acabou por falecer depois do tiroteio com as autoridades, enquanto o outro, apesar de atingido, se encontra vivo. Quanto à costureira que os ajudou nesta fuga, encontra-se detida por ser cúmplice e também por ter pensado, com a ajuda dos fugitivos, matar o marido.

Esta verdadeira fuga à filme, com direito a bonecos criados com almofadas e tudo, deixou os americanos muito desagradados, uma vez que para além dos dois fugitivos serem extremamente perigosos ainda deixaram um bilhete aos guardas a desejar-lhes um bom dia. Foragidos há três semanas da prisão de segurança máxima de Dannemora, Nova Iorque, Matt Richard e David Sweat foram já capturados.

O primeiro, de 48 anos e a cumprir pena entre 25 anos e prisão perpétua por sequestro, assassinato e desmembramento do seu antigo patrão; o segundo, de 34 anos, matou um polícia, o que o levou a uma pena de prisão perpétua.

Publicidade
Publicidade

Richard foi abatido na passada sexta-feira, 26 de Junho, depois de uma troca de tiros com a polícia; já David foi capturado no passado domingo, dia 28, na fronteira com o Canadá. Apesar de ter sido também atingido, o recluso encontra-se vivo e a recuperar num centro médico.

Recorde-se que os dois foragidos eram considerados extremamente perigosos, sendo que havia inclusive uma recompensa de quase 90 mil euros, oferecida pelo Estado de Nova Iorque, para quem fornecesse informações. Os dois reclusos foram ajudados pela costureira e funcionária da prisão, Joyce Mitchell, que lhes comprou e forneceu equipamento e ferramentas para a fuga. Aos 51 anos e casada, Joyce terá mantido um relacionamento com um dos reclusos.

Agora detida, desde o passado dia 12 de Junho, Joyce é acusada de ser cúmplice na fuga e também por ter arquitectado um plano no qual os fugitivos viriam a matar o seu marido Lyle, que trabalha no mesmo estabelecimento prisional.

Publicidade

#Justiça