Os textos históricos descobertos por Muhammed Ahmed el-Hamed revelam segredos misteriosos. Nomeadamente a possibilidade de ter existido um Messias pré-Jesus, mais velho cerca de 100 anos. No entanto, nNem todos os segredos contidos nos documentos encontrados podem ser revelados ou lidos. Enquanto pastoreava as suas cabras, o pastor descobriu duas aberturas entre as rochas. Atirou uma pedra e ouviu cerâmica a partir-se. E, sem que nada o fizesse prever, acabara de encontrar o local onde estavam guardados parte dos 'Manuscritos do Mar Morto', em vários vasos de barro.

Os 'Manuscritos do Mar Morto' são um conjunto de textos escritos 250 anos antes do aparecimento de Jesus e que relatam a possível existência de um Messias mais velho que Cristo.

Publicidade
Publicidade

Os documentos, que podem pertencer ao livro hebraico essénio, são agora estudados no livro 'Compreender Os Manuscritos do Mar Morto', da autoria do historiador bíblico Hershel Shanks. Os 'Manuscritos do Mar Morto' são considerados a versão mais antiga dos textos bíblicos e os textos encontrados por Muhammed Ahmed el-Hamed foram os primeiros a integrar esses manuscritos. As restantes relíquias foram encontrados em cavernas em Qumran.

A curiosidade daquele pastor em 1947 resultaria na descoberta de importantes textos em tecido, embora Muhammed não tenha compreendido de imediato o que acabara de encontrar. Segundo uma das relíquias encontradas, este Messias pré-jesus terá desaparecido devido a ameaças à sua vida. Enviado por Deus para guiar os judeus com cólera em 196 a.C., era conhecido como o "Mestre da Justiça".

Publicidade

Mas as histórias multiplicam-se nos 2 mil documentos que el-Hamed descobriu há 68 anos, todos eles mais antigos que os textos bíblicos cerca de mil anos.

De acordo com a agência noticiosa Agence France-Presse (AFP), até 1947, os textos mais antigos descobertos eram os 'Textos Massoréticos', comparados com os 'Manuscritos do Mar Morto'. Segundo o jornal El País, este material esteve desaparecido durante centenas de anos, tendo desaparecido muitos documentos da Palestina devido à destruição dos templos de Jerusalém ordenada por Tito. O mistério que permanece por responder é como os documentos foram colocados em vasos escondidos numa caverna no Mar Morto.

Entre os textos escritos guardados no Santuário do Livro de Jerusalém, integrado no Museu de Israel, estão alguns impossíveis de ler devido à proibição dos proprietários. E é inevitável perguntar se neles estarão contidos alguns dos mistérios mais escondidos do judaísmo e do cristianismo. #Religião