Continuam os conflitos raciais nos Estados Unidos. Desta feita, nove pessoas foram mortas a tiro numa igreja história da cidade de Charleston, na Carolina do Sul. Segundo as autoridades, por volta das 21h00 (02h00 em Portugal Continental) o suspeito armado entrou na Emanuel African Methodist Episcopal Church, um dos marcos religiosos da comunidade negra a Sul de Baltimore, e disparou sobre as pessoas que estavam a participar num serviço de oração. Oito pessoas morreram no local, enquanto a nona vítima veio a falecer já no hospital. A polícia de Charleston começou uma luta contra o tempo na caça ao suspeito e oferece uma recompensa a quem tenha informações sobre o paradeiro do criminoso, que, segundo a polícia, é branco, terá cerca de 21 anos e ainda estará na área do #Crime.

O chefe da Polícia de Charleston, Greg Mullen, referiu-se a esta noite de horror como "a pior noite da minha carreira" e acredita que este é um crime de ódio. Apesar da polícia não ter ainda identificado as vítimas, segundo o líder da State House Minority, Todd Rutherford, o atual reverendo Clementa Pinckney e também senador do estado da Carolina do Norte encontra-se entre as vítimas mortais do tiroteio. Enquanto a polícia continua a busca pelo suspeito várias pessoas ligadas à igreja e à comunidade juntaram-se numa vigília de oração e luto pelas vítimas da tragédia.

As redes sociais enchem-se de vozes de americanos e pessoas por todo o mundo em choque com um crime direcionado à comunidade negra e que acontece num local de culto e oração. Este é mais um dia sangrento na história dos Estados Unidos, que vem agravar as tensões raciais no país, recentemente marcado pelas mortes de jovens negros às mãos da polícia. Também as permissivas leis de porte de arma no país voltam a ser fortemente criticadas e relançam o debate sobre os direitos dos americanos.

Segundo o site da igreja, a "Mother Emmanuel" (Mãe Emmanuel) como é frequentemente chamada, existe desde o século dezanove e esteve intimamente ligada a uma tentativa de rebelião de escravos em 1821 na cidade de Charleston. #EUA