Foi encontrada sem vida a emigrante portuguesa Felicidade Plácido, depois de ter sido alegadamente degolada em casa pelo marido, o espanhol Constantino Rodriguez, de 65 anos, na região de Villa de Pravia, nas Astúrias. O autor do #Crime terá também agredido uma senhora de 86 anos, com problemas de mobilidade, da qual cuidava e a quem prestava serviços, degolado a esposa, e suicidou-se de seguida. Este cenário dantesco ocorreu no passado domingo, dia 5 de julho. Constantino terá entrado em casa da vizinha de forma normal, já que tinha uma cópia das chaves da habitação, desferindo-lhe um golpe na cabeça com um candelabro e tentado asfixiá-la com recurso a uma almofada.

Publicidade
Publicidade

No entanto, Maria Iglesias ficou apenas inconsciente e, após recuperar os sentidos, foi a própria que alertou as autoridades locais para o que se tinha passado.

Constantino Rodriguez terá subido ao piso de cima, onde imobilizou e degolou a companheira portuguesa com uma faca de cozinha, tendo-se suicidado logo de seguida, cortando as veias do pescoço e sangrando até à morte. A vizinha chamou a Guardia Civil, que compareceu no edifício por volta das oito horas da manhã do dia seguinte, depois de obter um mandato de captura, tendo encontrado este cenário de terror.

Segundo alguns testemunhos de vizinhos ao jornal espanhol Nova Espanha, o casal vivia desafogadamente, graças à reforma de Constantino, que trabalhou na empresa Telefónica, e não conseguem perceber os motivos que terão levado o espanhol a agredir a vizinha, que foi sempre bem tratada pelo casal.

Publicidade

Um amigo do casal adianta ainda que a idosa pretendia deixar todo o seu património a Constantino e a Felicidade, causando ainda mais estranheza neste caso, uma vez que Constantino era considerado um "homem bom" e preocupado. Por isso os populares não entendem bem porque é que a Guardia Civil divulgou que o crime terá sido motivado por questões de heranças.

Ficou assim agitado o ambiente na rua do Príncipe, perto da praça central das Almadrenas, nesta região perto de Oviedo, onde não existe no entanto forte implementação da comunidade emigrante portuguesa.