Um emigrante português de 57 anos a residir na Suíça morreu afogado durante a passada quinta-feira enquanto passeava de barco com a família no Lago Annecy, no lado francês da fronteira com a Suíça. O trágico acidente ocorreu na zona do lago situada em La Puya, na perfeitura de Annecy, comuna de Sevrier, quando o emigrante passeava num barco a motor, gozando um período de férias naquela região francesa. O português, cuja identidade não foi ainda revelada pelas autoridades francesas, terá saltado do barco para nadar no lago, mas terá sido importunado pela nortada que se fez sentir a determinada altura e terá ficado submerso pelas águas para desespero de mulher e filha, que a tudo assistiram em cima do barco.

Publicidade
Publicidade

Foram as próprias a dar o alerta de socorro, tendo sido transportadas para o Hospital de Annecy pelos bombeiros locais.

Durante a noite de quinta-feira e o dia de sexta-feira uma equipa de doze mergulhadores do Service Départemental d'incendie et de Secours (SDIS) do departamento de Haute-Savoie, e outros seis reforços da região de Savoy, fizeram buscas e efectuaram vários mergulhos naquela parte do lago que conta com cerca de 40 metros de profundidade, mas a acção de resgate foi em vão. No sábado de manhã, juntou-se à equipa de mergulhadores um reforço vindo de Genebra equipado com um sonar, o que acabou por ajudar a localizar e resgatar o corpo. Segundo avança o jornal francês Dauphine Libere, o homem seria um excelente nadador, mas terá sofrido um choque térmico devido à elevada temperatura exterior, o que o levou ao #Afogamento.

Publicidade

No entanto, as circunstâncias exactas do acidente permanecem ainda desconhecidas.

O Lago Annecy é um dos mais bem-vigiados pontos turísticos da região dos Alpes e conta com cerca de 60 salva-vidas e várias equipas de socorro e salvamento. No entanto, tal não foi suficiente para evitar a morte deste emigrante português, que se afogou em frente à própria família, deixando a comunidade portuguesa na Suíça novamente de luto, depois da morte de uma emigrante em plena Avenida Bergières, em Lausanne, uns dias antes. #Emigração