Uma emigrante portuguesa morreu ontem ao início da noite, na Avenida Bergières, em Lausanne, Suíça, depois de ser esfaqueada pelo próprio companheiro em plena rua. Segundo Sébastien Jost, porta-voz da Polícia de Lausanne, a vítima e o agressor eram um casal, com idades entre os 35 e os 40 anos, que se terá desentendido em plena via pública, depois da mulher ter saído de um quiosque português onde esteve a fazer compras.

O agressor, cuja nacionalidade ainda não foi possível apurar, terá esperado pela companheira na rua, surpreendendo-a à saída do quiosque com uma faca, desferindo vários golpes que causaram a morte da portuguesa. Perante algum pânico na rua, o homem acabou por se automutilar com a faca, tentando tirar a própria vida, mas resistiu aos ferimentos a tempo da chegada do socorro médico. Com a chegada da polícia, o local do #Crime foi vedado com distância de 200 metros, e montada uma cena de investigação, com peritos forenses a examinar o local.

O mesmo porta-voz policial confirmou que a vítima teve morte instantânea, e que não foi possível interrogar o agressor, que foi transportado de urgência para o Centre Hospitalier Universitaire Vaudois (CHUV). Uma testemunha do crime, um emigrante português proprietário de um quiosque no nº31 desta avenida, contou ao jornal suíço 24heures que "aquela senhora entrou e fez algumas compras, mas parecia bastante calma. Trocámos até algumas palavras, pois ela é portuguesa, como eu".

A vítima terá estado no quiosque por volta das 18 horas, com o crime a ocorrer poucos minutos depois, não se sabendo se a portuguesa teria conhecimento de que o companheiro estava à sua espera. O agressor, depois de esfaquear a vítima, acabou por usar a faca no próprio corpo, causando ainda mais choque perante as testemunhas presentes

A avenida Bergières acabou por ser encerrada ao trânsito nos dois sentidos durante algumas horas, para que se procedesse ao inquérito e à investigação policial. No local estiveram 15 agentes policiais, 2 ambulâncias e um veículo dos bombeiros. #Emigração