Pela primeira vez em 13 anos, os funcionários da London Underground, a empresa que explora o metro de Londres, marcaram uma #Greve de 24 horas. O avanço para esta forma de luta mais drástica por parte dos trabalhadores é justificada com reclamações ao nível da carga salarial e o aumento do horário de trabalho. A paralisação vai deixar sem transporte os cerca de três milhões de passageiros que diariamente usam o metro. Desde as 18h30 de ontem (menos uma hora em Lisboa) e pelo menos até à noite desta quinta feira, dia 9 de julho, Londres vive horas de pleno caos.

Os trabalhadores da London Underground decidiram avançar para a greve depois de falhadas as negociações com a empresa.

Publicidade
Publicidade

Os funcionários reclamam aumentos salariais e contestam o aumento do horário laboral aos fins de semana. Depois de terem chegado a um impasse, decidiram avançar para uma paralisação de 24 horas que levou ao encerramento de todas as linhas do metro londrino. À procura de uma alternativa, muitos dos três milhões que todos os dias efetuam viagens de metro procuram chegar ao destino de autocarro. Mas esta não está a ser uma opção muito viável, apesar do reforço de 200 veículos. As filas são intermináveis junto às paragens e, quando conseguem entrar, este transporte público está completamente cheio. Segundo relatos da comunicação social britânica, há mesmos motoristas que se recusam a conduzir autocarros com tantos passageiros e quem já conseguiu garantir um lugar não quer sair.

A agravar a situação, a greve dos trabalhadores da London Underground coincide com a paralisação dos ferroviários da empresa First Great Western, que liga Londres a cidades do Sul de Inglaterra de comboio.

Publicidade

A comunicação social britânica não tem medo de usar as palavras "caos" ou mesmo até "inferno" para descrever a situação que se vive hoje na capital do Reino Unido.

400 quilómetros dentro de uma cidade 

A funcionar desde 1863, o metro de Londres tem atualmente 11 linhas que, no total, perfazem mais de 400 quilómetros, sendo esta uma das linhas mais extensas e complexas de metro do mundo. Cerca de três milhões de pessoas escolhem diariamente este meio de transporte para realizar as suas viagens entre as 270 estações que estão abertas ao público. #Transportes Públicos