A posição da igreja católica em relação ao uso do preservativo foi a inspiração que culminou na obra "Eggs Benedict". A peça está a atrair atenções, pois é o retrato do Papa emérito Bento XVI totalmente feito com preservativos. O processo levou 270 horas, das quais metade foram apenas para abrir os invólucros dos preservativos coloridos que a compõem. O Milwaukee Art Museum adquiriu o retrato para o seu acervo e o arcebispo católico de Milwaukee teve uma reacção de repúdio.

O autora da obra é Niki Jonshon, que refere que a mesma não é um ataque de ódio, mas sim um meio para provocar discussão construtiva em torno da questão.

Publicidade
Publicidade

Segundo Niki, uma afirmação proferida em 2009 por Bento XVI numa viagem a África, que relacionava o uso dos preservativos com o aumento e proliferação do HIV nesse continente, foi que lhe despertou o interesse em abordar o tema, pois discorda com as posições conservadoras adoptadas pelo papa.

O arcebispo de Milwaukee, Jerome Listecki, criticou a decisão do Milwakee Art Museum ter adquirido a peça e considerou-a um insulto. Os cristãos vêm a obra como profundamente desrespeitosa e até mesmo blasfema. Listecki sugeriu que caso a mesma ofendesse judeus, muçulmanos ou minorias raciais o Museu não a teria aceite.

A controvérsia iniciou-se desde que foi tornado público que o retrato será exposto em Novembro de 2015, contudo, ainda não foi exposto ao público devido a obras na galeria. O Museu já explicou que a peça foi adquirida a um filantropo local, Joseph Pabst, advogado dos direitos gay.

Publicidade

Pabst revelou que "não o comprei por achar bonito (…) comprei-o porque pensei que era provocante... Esta peça tem trabalho a fazer. Tem que fazer as pessoas pensarem e ter discussões". O Museu admite que houve algumas queixas e o apoio financeiro de pelo menos um doador foi retirado. Em contrapartida, igual número de pessoas tem demonstrado apoio à peça. O director do Museu Dan Keegan alega que "se os museus tomarem as suas decisões baseadas nas reacções dos doadores, ou em respostas negativas à programação, nós, como uma nação e uma sociedade livre, seríamos muito mais pobres do que a perda de uma doação futura".

"Preservatif" é o título da exposição que teve Niki Johnson como curadora em Memphis. Na mesma participaram 20 artistas de todo o país (EUA) e a exposição relacionada com preservativos vem acender de novo a discussão sobre sexo seguro, o que foi sempre a sua intenção. #Religião #Artes