Um emigrante português morreu na passada segunda-feira na cidade suíça de Nyon, cantão de Vaud. O jovem trabalhador de 34 anos encontrava-se a escavar um buraco à profundidade de 1,2 metros e acabou soterrado depois de um desabamento, segundo avança a Polícia Cantonesa de Vaud. O acidente ocorreu na estrada que liga a cidade a Genebra, perto da sede da UEFA, numa vivenda que se encontrava em remodelação, obra a cargo de uma empresa de construção local. A vítima estaria a preparar uma conduta de gás subterrânea quando o morro de terra desabou, deixando-o soterrado. Os colegas ainda tentaram remover rapidamente a terra, mas o trabalhador acabou mesmo por falecer no local.

Publicidade
Publicidade

O emigrante trabalhava para esta empresa há cerca de três meses e residia na zona de Nyon, não se conhecendo ainda mais detalhes sobre a sua identidade. Segundo algumas testemunhas, o desabamento terá sido provocado por um camião sobrecarregado estacionado ao pé da vala onde o trabalhador se encontrava. O corpo do malogrado acabou por ser resgatado sem vida apenas 6 horas depois, com trabalhos de resgate a cargo das corporações de Bombeiros de Genebra e de Nyon, auxiliados pelas autoridades policiais da mesma cidade. O comandante dos Bombeiros de Nyon, Pierre-Yves Corthesy, declarou à imprensa suíça que foi prestado todo o apoio para que se conseguisse extrair a vítima, num processo doloroso para a equipa de resgate, para os colegas, que também ajudaram, e para os proprietários da residência.

Publicidade

"Quando me disseram o que tinha acontecido preferi esperar até que o resgate acabasse, protegendo a minha filha. Fui dar uma volta com ela e só regressámos à noite, para que ela não testemunhasse a retirada do corpo", disse o proprietário ao jornal suíço Tribune de Genéve, lamentando ainda a tenra idade da vítima.

Segundo as regras neste tipo de construção, o suporte às escavações só é obrigatório quando ultrapassa os 1,5 metros de altura, encontrando-se já no terreno uma equipa de investigação para determinar as circunstâncias desta tragédia, de modo a perceber se foi um acidente ou se houve negligência por parte da empresa de construção.

Esta é a terceira morte de emigrantes portugueses na Suíça num espaço de poucos dias. Na passada quinta-feira, um emigrante taxista em Genebra perdeu a vida depois de se afogar num lago, na região francesa de Annecy. Já na sexta-feira foi a vez de uma emigrante portuguesa perder a vida numa movimentada avenida de Lausanne, depois de ser mortalmente esfaqueada por um ex-namorado que a terá perseguido até aquela cidade suíça. #Emigração