O xerife de Essex, o luso-americano Armando B. Fontoura, ofereceu uma recompensa de 10 mil dólares, cerca de 9 mil euros, a quem fornecer informações sobre o alegado homicídio de um cidadão português. Agostinho Sousa, de 40 anos, foi encontrado morto na manhã deste domingo, 26 de Julho, num beco do bairro de Ironbound, em Newark, onde reside uma vasta comunidade portuguesa. O assassinato está a deixar chocados os emigrantes portugueses que lá residem. Os emigrantes lusos já agendaram um protesto a realizar nos próximos dias para protestarem contra a falta de segurança naquela zona residencial dos Estados Unidos da América.

Ninguém sabe explicar as causas que levaram à morte do português. A imprensa norte-americana avança com a informação que o homem terá sido morto junto a um café que frequentava diariamente. Agostinho Sousa foi encontrado pela polícia já cadáver num beco da rua Walnut às 12:15 horas de hora portuguesa, 07:15 locais. Os indícios apontam para que o #Crime tenha ocorrido cerca de 10 minutos antes. As autoridades policiais viriam, mais tarde, a encontrar uma carrinha azul com sinais de que alguém a tinha tentado incendiar, presumindo tratar-se do veículo utilizado pelo(s) alegado(s) homicida(s).

O luso-americano Armando B. Fontoura, eleito sucessivamente, desde 1991, xerife do Condado de Essex, em New Jersey, onde fica a cidade de Newark, uma das mais populosas, anunciou a atribuição de uma recompensa de cerca de 9 mil euros (10 mil dólares) a quem indicar informações que conduzam à identificação do alegado autor do crime e/ou à sua captura.

Também o luso-descendente Anthony Campos, chefe da polícia local, está a incentivar e a encorajar todos aqueles que possuam informações úteis à investigação para que as forneçam às autoridades. Por outro lado, o policial garante à comunidade residente que está protegida e em segurança. No entanto, e reconhecendo que a lei os protege, Anthony Campos afirma que é preciso que os habitantes denunciem "qualquer situação suspeita".

A insegurança é um dos problemas que afligem comunidade portuguesa, que reivindica por um maior policiamento. Porém, há quem avance que a morte de Agostinho Sousa, com um tiro no peito, terá tido origem num assalto e roubo de um telemóvel. Mas há quem acredite que se tratou de um eventual ajuste de contas.

A morte de Agostinho Sousa não é a única que deixa a #Emigração portuguesa em sobressalto. Quase diariamente surgem notícias sobre mortes de emigrantes portugueses radicados em vários países#EUA