Já não é a primeira vez que são divulgados casos de patrões que demonstram o seu apreço pelos funcionários, oferecendo diversos presentes ou regalias. O último caso a ser conhecido é o do empresário turco Nevsat Aydin, que fundou a sua própria empresa, Yemeksepeti, há 15 anos e recentemente vendeu-a a uma empresa de nacionalidade alemã e de maior dimensão. Este negócio criado por Nevsat Aydin transformou-se ao longo de 15 anos na maior empresa de distribuição online de comida. Actualmente possui capacidade de distribuir, por mês, mais de três milhões de refeições. Apesar de se encontrar sediada na Turquia, a empresa também trabalha em outros países, como os Emirados Árabes Unidos, a Arábia Saudita, a Jordânia, Omã, Líbano ou Qatar.

Publicidade
Publicidade

Logicamente não é a primeira vez que uma empresa é vendida a uma outra do mesmo ramo. O insólito desta venda é que o fundador da Yemeksepeti decidiu que o sucesso obtido não foi alcançado apenas por si e demonstrou a gratidão aos seus colaboradores com a distribuição de parte dos lucros da venda. A venda da Yemeksepeti rendeu a Nevsat Aydin a quantia de 589 milhões de dólares. A quantia que Aydin decidiu repartir pelos seus colaboradores foi a de 24 milhões de dólares a todos aqueles que faziam parte dos quadros da empresa há pelo menos 2 anos (sendo estes 114 dos mais de 300 trabalhadores). Segundo o próprio, a quantia irá depender das funções que cada um desempenha actualmente na firma e a possibilidade de futuro na mesma.

Quando questionado em relação à sua decisão, Nevsat Aydin verbalizou que a sua firma não conseguiu obter sucesso imediato e que o papel de cada trabalhador foi muito importante no desenvolvimento da empresa e na obtenção de sucesso. Segundo o jornal turco que divulgou inicialmente a notícia, Hurriyet Daily News, os trabalhadores receberam a novidade com alegria e emoção, dado que muitos deles poderão receber quantias que valerão, em alguns casos, 150 vezes o salário obtido mensalmente.

Publicidade

Tendo em conta que este acontecimento não foi o primeiro, e muito possivelmente não será o último, qualquer trabalhador deve "sonhar" para que o seu patrão tenha uma ideia semelhante num futuro próximo. #Negócios