As explosões que ocorreram em Tianjin, na China, foram captada em fotografias de satélites em órbita, garante uma notícia da Agência Reuters. A mesma fonte informa ainda que o U.S. Geological Survey registou o impacto das explosões como um evento sísmico. O porto de Tianjin é o décimo maior porto do mundo e é estimado que cerca de 15 milhões de pessoas vivam nas redondezas. Vastas áreas das instalações foram devastadas pela deflagração. Contentores de carga foram atirados ao ar e carros e edifícios próximos foram queimados.

O abalo foi sentido a vários quilómetros de distância do epicentro da explosão, fazendo tremer os edifícios e quebrando os vidros das janelas.

Publicidade
Publicidade

Algumas testemunhas, impressionadas pela onda de choque e pela bola de fogo que se formou no ar, pensaram que se tratava de uma bomba atómica.

O que se sabe é que as indústrias do local trabalhavam com materiais perigosos, como solventes industriais explosivos e outros elementos tóxicos e combustíveis. As causas certas do acidente, contudo, não são ainda conhecidas, embora uma equipa de diversos especialistas já tenha sido movida para o local para investigar o sucedido.

O Presidente da China, Xi Jiping, exortou as equipas de socorro a fazerem um esforço para resgatar o maior número de pessoas possível e tratar os feridos. Garantiu também que, após a investigação das origens do desastre, os responsáveis seriam “severamente punidos”.

Estima-se até ao momento que mais de setecentas pessoas tenham sido feridas na sequência da explosão e pelo menos cinquenta pessoas terão morrido.

Publicidade

Entre as vítimas mortais contam-se doze bombeiros que foram enviados para combater os incêndios no local. Outros dezoito estão desaparecidos. Mais de mil foram destacados para combater os fogos que ainda grassam nas redondezas.

A China tem um historial de acidentes industriais envolvendo explosões nos últimos anos. Há um ano, uma fábrica de peças de automóveis no leste do país sofreu uma explosão que matou setenta e cinco pessoas e provocou várias dezenas de feridos. #Tragédia