Uma chilena com 91 anos, Estela Meléndez, não queria acreditar quando os médicos lhe revelaram o impensável: carregava um feto no ventre há mais de seis décadas. O impensável foi revelado num raio-X, realizado com o propósito de analisar o que os médicos de um hospital em La Boca no Chile, onde Estela se encontrava, acreditavam ser um tumor de enormes dimensões na zona do estômago.

Uma análise mais detalhada ao raio-X da idosa permitiu uma conclusão, no mínimo, inacreditável: a mulher albergava um feto calcificado. Uma massa que, embora de enormes dimensões, não representa qualquer risco para a saúde de Estela. Embora caricato, o diagnóstico levantou as suspeitas que incidiam sobre a presença de um tumor estomacal, na chilena.

Publicidade
Publicidade

Estela, que nem remotamente havia pensado na possibilidade de estar "grávida", carregava a criança há já pelo menos 60 anos. Segundo relatou à CNN: "O médico disse que eu tinha um tumor e que seria necessária uma intervenção cirúrgica para removê-lo".

Ironia, ou não, Estela fora casada durante 74 anos com Manuel Gonzalez. Porém, o casal foi incapaz de ter filhos. Um sofrimento que ambos carregaram durante todos os 74 anos de matrimónio que os uniram. Manuel morreu em janeiro deste ano, também com 91 anos.

Desde a descoberta, a chilena considera o feto uma lembrança. Uma recordação dos momentos vividos pelo casal que ansiava ter filhos. Os médicos decidiram não remover o feto. A operação seria muito arriscada tendo em conta a idade de Estela.

Embora o desfecho mais comum de uma gravidez não seja possível na chilena, existem registos de grávidas em idades muito avançadas.

Publicidade

Aos 70 anos, Omkari Panwar é a mulher mais velha do mundo a dar à luz, de que haja registo.

Desesperados por um filho varão, o casal Panwar procurou ajuda médica recorrendo a tratamentos de fertilidade. Já com duas filhas adultas, Omkari e o marido Charan ansiavam por um herdeiro homem. Em 2008, Omkari tornava-se a mãe mais velha do mundo - de que há conhecimento - ao dar à luz gémeos, aos 70 anos de idade. #Curiosidades #Casos Médicos #Insólito