A história é chocante e não há palavras para descrever o enredo macabro protagonizado pela jovem mãe de 23 anos de idade. A rapariga confessou às autoridades policiais que matou 3 filhos desde Julho de 2014. Duas das crianças tinham 3 meses de idade quando morreram, o terceiro tinha 4 anos. Para justificar aquela barbárie, a jovem alegou que o pai dos menores dava mais atenção aos rapazes do que à filha, de três anos e meio. O caso aconteceu em Ohio, um estado dos Estados Unidos da América e é relatada pelo Jornal de Notícias.

Brittany Pilkington está afastada do seio familiar e vivia com um homem 20 anos mais velho quando foi detida esta semana pela polícia.

Publicidade
Publicidade

Na terça-feira, 17 de Agosto, a jovem, de 23 anos de idade, telefonou para a linha de emergência médica dando conta que o seu filho, Noah, de apenas 3 meses de idade, não respirava. Segundo o que é relatado, Brittany aparentava estar calma quando efectuou a chamada telefónica a pedir por socorro. Dez horas depois, não aguentou a pressão do inquérito policial e acabou por confessar a sua macabra história.

Asfixiou com um cobertor, até à morte, não só o pequeno Noah, mas também Gavin, no passado mês de Abril, na ocasião com 4 anos, e, em Julho do ano passado, Nial com 3 meses de idade. Alegou às autoridades de que o pai, conservador e mais velho 20 anos do que ela, dava mais atenção aos filhos rapazes, do que à filha de ambos, Hail, com 3 anos e meio de idade. A jovem assumiu aos policiais que considerava esta como a sua melhor amiga.

Publicidade

Aquando da morte dos dois primeiros menores, a polícia investigou o caso mas não encontrou indícios que pudessem apontar a mãe como sendo a presumível responsável pelas mortes. Após a morte de Gavin, as autoridades retiraram-lhe Noah e Hail, mas como a investigação não conseguiu encontrar provas consideradas suficientes para as manter institucionalizadas regressaram para a casa dos pais.

Só agora perante a terceira morte é que a polícia estranhou as circunstâncias e intensificou o interrogatório sobre os dramáticos e chocantes factos. Mas não foi preciso chegar a tanto, já que Brittany Pilkington acabou por confessar os crimes ao procurador William Goslee, que disse à cadeia televisiva CNN ser difícil prever um comportamento daqueles por parte de uma mãe. #Crime #EUA