A organização feminista GoTopless irá organizar neste domingo, dia 23, a sua primeira marcha pela cidade de Nova Iorque. Os representantes desta iniciativa defendem que as mulheres deveriam poder andar com os seios à mostra, criticando o facto de o topless feminino ser ainda bastante visto como algo sexual. A dirigente do grupo, Rachel Jesse, que também é atriz e bailarina, salienta que as pessoas não deveriam encarar o topless como um tabu. O evento deverá ainda chegar a Los Angeles, bem como a outras cidades europeias.

De acordo com um comunicado, a marcha terá início amanhã em Nova Iorque ao meio-dia (por volta das 16h30 na hora de Lisboa) e obrigará ao fecho de várias ruas da cidade.

Publicidade
Publicidade

O evento decorrerá, prestando ainda honra à igualdade feminina e terá várias decorações com seios femininos, fatos, acrobatas em topless, contando também com a participação de outros artistas. 

Num comunicado emitido por parte da própria organização, Rachel Jesse elogia a cidade de Nova Iorque pelo encorajamento dado à prática do topless durante 23 anos. No entanto a atriz e bailarina lamenta o facto de muitas mulheres não aproveitarem esse direito e o praticarem, quer por vergonha ou por sentimentos de culpa. Do seu ponto de vista, várias mulheres, que aderem a essa prática, muitas vezes preocupam-se com a violência policial, detenções ou até mesmo com a possibilidade de irem parar a hospitais psiquiátricos.

O grupo GoTopless, formado em 2007, pretende denunciar a ideia imposta socialmente de que os seios femininos devem ser ocultos ou censurados por serem sexualizados. Maitreya Rael, fundadora do grupo, refere, através da mesma fonte, que apesar de ser natural a tendência de os seios femininos gerarem desejo sexual em muitos homens, tal não é desculpa para atacar ou abusar sexualmente de mulheres.

Publicidade

Jesse deu continuidade às palavras de Maitreya, salientando que isso não é razão para as mulheres cobrirem os seios. 

De acordo com a mesma fonte também os homens sofreram devido a essa proibição, referindo um caso no qual vários homens foram presos devido a "exposição indecente". No entanto, Rachel aponta que o sexo masculino ultrapassou as suas inibições face ao topless e que o mesmo é possível para as mulheres. #Causas #Manifestação #EUA