Esta sexta- feira, dia 22 de Agosto, um homem efectuou vários disparos num comboio que fazia a ligação entre Amesterdão e Paris. O ataque só não terminou em tragédia devido à presença de dois passageiros que, corajosamente, intervieram e dominaram o agressor. O autor dos disparos, de origem marroquina, tem 26 anos e foi detido pela polícia francesa. A investigação deste ataque está a ser liderada pelos serviços de anti-terrorismo.

O tiroteio ocorreu ao fim da tarde, cerca das 17h50, quando um passageiro, fortemente armado com uma Kalashnikov e várias armas brancas, se posicionou entre duas carruagens e começou a disparar.

Publicidade
Publicidade

O comboio de alta velocidade, que seguia de Amesterdão para Paris, transportava cerca de 554 passageiros, tendo dois deles ficado feridos. O comboio foi desviado para a cidade de Arras, no norte de França, onde o atacante foi detido pelas autoridades.

Apesar de o incidente não ter sido imediatamente considerado como um acto terrorista, as autoridades estão, no entanto, a investigar essa possibilidade. De acordo com uma fonte policial, citada pela “Agence France Press”, o agressor já se encontrava referenciado pelos serviços secretos franceses, por se suspeitar de ligações com redes terroristas.

Após ter efectuado vários disparos, dois passageiros norte-americanos intervieram e evitaram que o ataque se transformasse numa tragédia. Os dois militares, que se encontravam de licença, demonstraram uma grande coragem e conseguiram imobilizar e neutralizar o atacante.

Publicidade

Um passageiro foi baleado e outro sofreu ferimentos provocados por uma arma branca. O primeiro foi transportado de helicóptero para o hospital de Lille e o segundo foi encaminhado para um hospital de Arras, não correndo, contudo, perigo de vida.

Bernard Cazeneuve, ministro do interior francês, agradeceu publicamente a intervenção heróica dos dois norte-americanos: “Juntamente com o Presidente e com o Primeiro-Ministro exprimo a estes dois passageiros americanos toda a nossa gratidão e admiração pelo seu sangue frio que pode ter evitado uma terrível tragédia”. Também Barack Obama considerou a atitude dos dois membros do exército americano de “heróica”. #Terrorismo #Crime