Lidiane Leite encontra-se em parte incerta desde que a sua conduta foi denunciada às autoridades. A Polícia Federal está a investigar a denúncia das alegadas práticas de corrupção que lhe são atribuídas e procura descobrir o paradeiro da autarca. A procura pela autarca já foi divulgada pela imprensa internacional, nomeadamente, pela dos Estados Unidos e de Inglaterra. Lidiane Leite assumiu a prefeitura de Bom Jardim em 2012, com 22 anos, sem pertencer a qualquer partido político.

Este é mais um caso de corrupção e gestão danosa a juntar aos muitos que têm vindo a público no Brasil. A autarca de uma cidade do estado do Maranhão está a ser investigada por suspeitas de desvios de verbas avultadas, que eram destinadas à educação e à alimentação.

Publicidade
Publicidade

Apesar de as autoridades já terem detido alguns dos responsáveis pela autarquia, a prefeita está desaparecida desde o passado dia 20 de Agosto. Lidiane Leite morava na capital do Maranhão, a cerca de 275 quilómetros de distância de Bom Jardim e administrava a cidade remotamente, por meio da aplicação WhatsApp. Era através do grupo "Força Tarefa" que a jovem autarca comunicava e enviava indicações aos seus secretários. No entanto, a maior parte das decisões relativas à gestão do município eram tomadas por Beto Rocha, ex-namorado de Lidiane e um dos responsáveis pela prefeitura, que foi detido pela polícia há duas semanas no âmbito desta investigação.

Lidiane Leite candidatou-se à autarquia em 2012, porque Beto Rocha estava a ser investigado por alegada corrupção e, por esse motivo, foi impedido pela justiça brasileira de se candidatar ao cargo.

Publicidade

Quando foi eleita, Lidiane atribuiu a pasta dos Assuntos Políticos ao seu então companheiro. Segundo fonte policial, os esquemas de corrupção terão começado poucos meses depois da tomada de posse.

A procuradoria da justiça suspeita que as verbas destinadas ao sector da educação e de programas de alimentação tenham ido parar a contas pessoais de responsáveis por cargos na autarquia. Nas redes sociais, Lidiane Leite vangloria-se da vida de luxo que alcançou após tornar-se prefeita e deixa mensagens provocatórias aos habitantes de Bom Jardim, que se queixam da falta de pagamento aos professores e de os alunos não receberem a merenda municipal a que têm direito.

A vida luxuosa, divulgada diariamente nas redes sociais pela autarca, era há muito contestada pelos habitantes da cidade, que fica num dos estados mais pobres do país. Na sua mais recente actualização do Facebook, Lidiane escreveu que "Antes de ser prefeita eu era pobre, né? Devia era comprar um carro mais luxuoso porque, graças a Deus, o dinheiro "tá" sobrando."

De acordo com o site de notícias “G1”, no ano passado Lidiane Leite foi afastada por 180 dias devido a irregularidades no regresso às aulas e no envio de alimentos às escolas. #Crime #Insólito