Um dos factores apontados para a debandada que causou pelo menos 717 mortos e 863 feridos em Mina é a desorganização das autoridades da Arábia Saudita. A #Tragédia aconteceu esta quinta-feira, a poucos quilómetros de Meca, e está registada como a mais grave dos últimos 25 anos durante a peregrinação anual Hajj. Segundo as testemunhas, as autoridades fizeram com que os peregrinos se concentrassem apenas num ponto de passagem, sendo que o acidente era inevitável. “Havia uma multidão. A polícia fechou todas as entradas e saídas do campo de peregrinos, deixando apenas uma. Eles não conhecem sequer as estradas e os locais daqui”, afirmou à agência France Press, Ahmed Abu Bakr, um líbio de 45 anos que conseguiu escapar à debandada com a sua mãe.

Publicidade
Publicidade

Irfan al-Alawi, co-fundador de uma fundação para o legado histórico de Meca, disse que as autoridades “não fazem ideia de como lidar com estas pessoas. Não há controle da multidão”, pois a polícia não tem a adequada formação para gerir e comunicar apropriadamente com os peregrinos.

A tragédia

Morreram 717 peregrinos e 863 ficaram feridos numa debandada em Meca, na Arábia Saudita. A tragádia aconteceu ás 9h da manhã quando os peregrinos se dirigiam a Jamarat para o “apedrejamento do Diabo”. Segundo um comunicado, a debandada fez com que muitos caíssem e acabassem esmagados por outros.

O ritual consiste em atirar sete pedras no primeiro dia do Eid al-Adha contra uma grande coluna que representa o diabo e no dia seguinte ou nos dois dias seguintes são atiradas 21 pedras contra as três colunas, todas de dimensões diferentes.

Publicidade

É o caso mais grave dos últimos 25 anos

No passado dia 11 de Setembro, 107 peregrinos morreram e algumas centenas ficaram feridos devido à queda de uma grua no interior da Grande Mesquita de Meca. A 3 de julho de 1990, 1426 pessoas morreram por esmagamento e asfixia no interior do túnel que liga Meca a Mina. O Ministério do Interior saudita explicou que 50.000 pessoas se concentraram na ponte que conduz ao túnel, cinco vezes mais do que a sua capacidade. Os primeiros desmaios por asfixia aconteceram devido a uma falha no ar condicionado que depois deu origem a uma debandada.

Entretanto ocorreram mais incidentes: em 1994 morreram 270 pessoas, em 1998 registaram-se 118 mortes e em 2004 contabilizaram-se 251 peregrinos esmagados. #Religião