Ahmed Mohamed, de nacionalidade muçulmana, tem 14 anos de idade, vive no Texas (Estados Unidos) e desde pequeno que gosta de mexer em aparelhos eletrónicos. Tendo passado para uma nova escola com novos professores (mais especificamente a MacArthur High School), resolveu impressioná-los com uma invenção caseira: um relógio digital que fabricou em casa. No entanto, acabou detido porque o seu aparelho foi confundido com uma bomba por parte da sua professora de Inglês. O caso está a gerar uma enorme controvérsia, bem como uma grande onda de simpatia por Ahmed. Segundo a TVI 24, o jovem ficou transtornado com o caso, dizendo ter perdido a inocência.

Publicidade
Publicidade

O jovem acredita que a razão principal pela qual foi detido se deve à cor da sua pele.

O relógio que Ahmed terá construído era composto por um ecrã digital e por um circuito eletrónico. Para o transportar, o jovem levou-o dentro de uma caixa. O trabalho do rapaz foi elogiado por parte do seu professor de engenharia, que de seguida o aconselhou a não o mostrar a ninguém, pois poderia provocar problemas.

No entanto, durante a aula de Inglês, o aparelho tocou e quando Ahmed o mostrou à docente ela entrou em pânico, dizendo que o aparelho parecia uma bomba, e contactou a polícia. O jovem foi de seguida levado para a esquadra, onde foi sujeito a um interrogatório. O relógio foi confiscado pela professora que deu o alerta.

As reações a este caso têm gerado uma enorme polémica, particularmente nas redes sociais, onde milhares de pessoas manifestaram o seu apoio ao jovem muçulmano através da hashtag #IstandWithAhmed. Muitos acusaram as autoridades do Texas de terem agido com base em preconceitos e xenofobia.

Publicidade

O caso captou inclusive o interesse de figuras conhecidas como Mark Zuckerberg e o presidente Barack Obama, que mostraram interesse em conhecer o jovem empreendedor.

Apesar da simpatia que o caso tem despertado, Ahmed diz sentir que foi tratado como um criminoso. O jovem acredita que foi preso por razões racistas e diz que se sente como uma "ameaça" devido à cor da sua pele. De acordo com a TVI 24, o pai do jovem salienta que o seu filho tem várias ideias e que não tem qualquer maldade dentro dele.

Uma porta-voz da MacArthur High School pronunciou-se, defendendo que a escola irá sempre tomar precauções para proteger tanto os estudantes como a comunidade escolar. #EUA #Insólito