Quando uma jovem mulher em Inglaterra (cuja identidade não é conhecida) conheceu um homem pelo Facebook, cujo nome era "Kye Fortune", começou um relacionamento virtual que durou cerca de dois anos. Em 2013 o par combinou um encontro num hotel de Chester (localizado perto de Manchester), onde decorreu a primeira relação sexual do casal. A jovem, porém, achou estranho que o seu "parceiro" quisesse que ela estivesse vendada durante os atos. Um dia ao remover a venda a meio de uma nova sessão, a mulher entrou em choque: o seu "namorado" era, afinal, uma amiga sua.

A amiga que enganou a lesada neste caso chama-se Gayle Newland, tem 25 anos e as duas já se tinham conhecido pessoalmente durante o relacionamento.

Publicidade
Publicidade

No entanto, a vítima não fazia a menor ideia de que a sua amiga estava a passar-se por homem e que se tratava do seu namorado virtual.

A razão que Gayle terá dado à lesada para cobrir o rosto com uma venda antes das relações íntimas teria que ver com o facto de que "Kye" tinha complexos relativamente às cicatrizes que tinha no corpo devido a um acidente e a uma doença cancerígena. Segundo o The Sun, a história falsa que Gayle contou à lesada referia que "Kye" estava internado num hospital privado e que tinha saído por breves momentos para estar com a sua amante.

O Diário de Notícias menciona que, durante os atos sexuais, Gayle recorreu a ligaduras e a brinquedos sexuais. Com a lesada a usar uma venda nos olhos, a acusada conseguiu manter este segredo durante algum tempo. A vítima afirmou, em declarações ao The Sun, que começou a desconfiar do seu "parceiro" quando lhe agarrou na parte de trás da cabeça durante o último ato sexual.

Publicidade

Algo lhe pareceu errado e o instinto levou-a a baixar a venda, descobrindo o segredo que Gayle lhe omitira.

A jovem afirmou que não sabia como reagir no começo, salientando que não se sente atraída por mulheres e que não tinha vontade de se dirigir a um médico e relatar que havia sido violada por uma mulher. A vítima acredita ainda que a farsa de Gayle teria continuado se ela não tivesse tirado a venda naquele momento. Este caso incomum está, neste momento, a ser julgado no Chester Crown Court. Gayle Newland está a enfrentar cinco acusações de abuso sexual apesar de se afirmar como sendo inocente. #Justiça #Insólito