O jornal espanhol El País avança que tenham sido, até ao momento, 310 as vítimas do esmagamento que aconteceu nos arredores da cidade de Meca, Arábia Saudita. O acidente aconteceu durante a manhã desta quinta-feira, 24 de Setembro, e, até agora ainda não há explicações para o sucedido. Porém, já por outras seis vezes que a grande concentração de pessoas em Meca acabou em #Tragédia. Ainda recentemente mais de uma centena morreu depois da queda de uma grua na Mesquita de Meca.

Hoje era o último dia que os peregrinos tinham para cumprir o Haji, a peregrinação a Meca, um dos cinco pilares do Islamismo e que todo o muçulmano deve cumprir pelo menos uma vez na vida.

Publicidade
Publicidade

Esta é uma romaria que dura 6 dias e na qual são esperadas, este ano, dois milhões de pessoas, naquela que é a maior deslocação de muçulmanos ao vale de Mina, representando assim o maior encontro anual de muçulmanos no mundo.

O acidente terá acontecido nas imediações de Meca, numa altura em que estariam no local do acidente cerca de quatro mil pessoas. Sem perceber-se ao certo o porquê iniciou-se uma fuga desordenada, que acabou por ir esmagando aqueles que se atravessavam no caminho. Para além dos mortos confirmados há ainda 450 feridos, apesar de que as autoridades no local não descartarem a possibilidade de se vir a encontrar mais vítimas mortais, conforme adianta o Observador.

A peregrinação deste ano a Meca fica marcada pela morte. No passado dia 11 de Setembro uma outra tragédia com uma grua tirou a vida a mais de uma centena de pessoas, após estas terem caído de uma plataforma na Mesquita de Meca.

Publicidade

Porém, o curioso da situação que aconteceu hoje é que não é a primeira vez que um acidente destas proporções acontece e, sem que se conheça as razões. Há registo de em 2006 ter acontecido uma debandada semelhante, em que morreram também centenas de pessoas da mesma forma. Também em 1990 havia acontecido algo similar que tirou a vida a 1426 pessoas, sendo este o maior acidente das deslocações a Meca.

Quase dois milhões de pessoas são esperadas na peregrinação deste ano. #Religião