Uma epidemia de piolhos que irrompeu em Burgas, na Bulgária, levou a uma investigação que, por sua vez, levou à descoberta de um negócio estranho que tem decorrido entre as crianças da região. De acordo com o The Sun, muitas crianças têm vendido ou comprado piolhos para se auto-infectarem e conseguirem assim faltar às aulas com uma justificação. A assistência médica em várias escolas começava a estranhar o facto de muitas crianças terem piolhos de uma forma constante, pensando erroneamente que se trataria de uma nova espécie de piolho resistente a tratamentos tradicionais. O negócio, no qual várias crianças estão envolvidas, tornou-se popular chegando alguns a comprar e a vender os parasitas por 10 levs (valor que corresponde a cerca de 5,13 euros).

Publicidade
Publicidade

Várias especulações antes da descoberta deste negócio invulgar passaram pela suspeita de negligência dos pais em tratar dos piolhos que infectam os seus filhos, ou até que seria uma nova espécie da família desse parasita. No entanto, quando as autoridades interrogaram vários menores, acabaram por descobrir o negócio em questão.

Esse negócio começou numa escola da aldeia de Ravnets, onde vários alunos ganharam algum dinheiro a vender o parasita em questão. Entretanto o negócio ganhou popularidade e propagou-se pelo município de Burgas. A mesma fonte referida anteriormente refere que várias crianças que tinham estado infectadas com piolhos, cerca de um a três dias depois tinham aquilo que muitos pensavam tratar-se de uma recaída. O número de infectados subiu de tal forma que os cuidados de saúde não encontraram ainda uma forma de controlar o número de crianças infectadas, pedindo ajuda aos encarregados de educação nessa tarefa.

Publicidade

Os piolhos são parasitas que se ligam aos pêlos, alojando-se aí, e que se alimentam de sangue humano. Em vários casos o contágio não se dá por falta de higiene, mas pelo contacto com cabeças ou roupas que estejam contaminadas. Os contágios de piolhos costumam ocorrer  sobretudo nas escolas primárias e têm como consequências a prevalência de comichões intensas, bem como a manifestação de feridas ou crostas na cabeça ou nuca dos infectados. #Insólito