Um dia depois de ter sido roubado na sua própria casa e sequestrado, o português Lorenzo Duarte Figueira foi encontrado morto, com indícios de ter sido assassinado a tiro. O caso aconteceu na zona de Turumo, na Venezuela, onde o português, de 34 anos de idade, era comerciante no sector dos lacticínios. Entretanto, a polícia local capturou três jovens, dois rapazes e uma rapariga, com idades entre os 21 e os 23 anos, suspeitos de pertencerem ao grupo criminoso que roubou e assassinou o português. No momento da detenção, as autoridades recuperaram o automóvel e alguns dos objectos que pertenciam à vítima, bem como um revólver, presumivelmente usado no homicídio.

Publicidade
Publicidade

De acordo com a Polícia Municipal de Sucre (Polisucre), Lorenzo Martin Duarte Figueira, de 34 anos de idade, de nacionalidade portuguesa, encontrava-se na quinta-feira à noite, 15 de Outubro, na sua casa, numa urbanização de Araguaney, quando terá sido surpreendido por um grupo de cinco pessoas fortemente armadas. Para além de lhe roubarem o veículo, um automóvel BMW, os assaltantes levaram vários objectos de valor, como electrodomésticos, tendo feito o comerciante refém, sequestrando-o.

Depois do alerta, as autoridades iniciaram de imediato uma operação policial no sentido de localizar o empresário português e capturar os presumíveis autores do roubo e sequestro. De acordo com o director da Polisucre, comissário-geral Manuel Fureles, os agentes acabaram por capturar os três jovens envolvidos no violento assalto, após terem localizado o BMW da vítima no bairro Dolorita.

Publicidade

Um dos jovens, ao aperceber-se da presença da polícia colocou-se em fuga em direcção a uma casa, onde viria a ser capturado juntamente com outros dois cúmplices. No âmbito daquela acção policial, foram apreendidos três telemóveis, um televisor e uma mala com roupas pertencentes a Lorenzo Figueira, assim como a alegada arma do #Crime.

Já na madrugada de sexta-feira, 16 de Outubro, funcionários municipais de Turumo descobriram, numa zona de mato junto à estrada, um cadáver amarrado e com vários ferimentos de bala. As diligências concluíram tratar-se do corpo de Lorenzo Martin Duarte Figueira, que estava rodeado de algumas cápsulas das balas que lhe tiraram a vida.

Manuel Fureles acrescenta que a Polisucre prossegue as investigações com vista a capturar os outros dois elementos do grupo envolvido naquele crime, que se encontram em parte incerta.