Um passageiro que seguia a bordo de um voo da Aer Lingus que fazia a ligação entre Lisboa e Dublin morreu durante a viagem. A vítima era um estudante de 25 anos e as causas da morte estão ainda a ser apuradas. Apesar de inicialmente se supor que a vítima era de nacionalidade portuguesa, a polícia irlandesa esclareceu nesta Segunda-Feira, dia 19 de Outubro, que o jovem era afinal brasileiro. Ao jornal “Público”, fonte daquela polícia disse que se encontra a investigar a causa do óbito do indivíduo.

Na tarde do passado Domingo, dia 18, um avião da companhia irlandesa Aer Lingus teve que solicitar uma aterragem de emergência no aeroporto de Cork, na Irlanda, depois de um passageiro se ter sentido mal e ter posteriormente falecido, ainda dentro da aeronave.

Publicidade
Publicidade

De acordo com uma testemunha que presenciou os acontecimentos, a vítima ter-se-á sentido mal e, quando um passageiro o tentou auxiliar, tornou-se agressivo, levando a que a tripulação tivesse que intervir a fim de imobilizar o homem.

Pouco tempo depois sofreu várias convulsões, na sequência das quais acabou por morrer. O jovem ainda foi assistido por uma equipa de emergência médica, que nada pôde fazer, acabando por declarar o óbito ainda dentro do avião.

A polícia identificou os passageiros e procedeu ao interrogatório de algumas das testemunhas que presenciaram o incidente. Após terem sido inquiridos, a maioria dos viajantes seguiu viagem até Dublin, em transporte disponibilizado pela Aer Lingus.

De acordo com informação veiculada pelo “Público”, uma mulher na casa dos 40 anos, que seguia no mesmo voo, foi detida pelas autoridades irlandesas.

Publicidade

Alegadamente, tinha na sua posse 1,8 quilogramas de anfetaminas.

Segundo o jornal britânico “The Guardian”, a passageira viajava sentada ao lado do homem que morreu e terá admitido durante o interrogatório que viajava com a vítima.

Ainda são desconhecidas as causas que levaram à morte súbita do cidadão brasileiro. A autópsia vai ser realizada esta Segunda-Feira à tarde e deverá permitir apurar as razões do óbito. #Casos Médicos