Um rapaz de 11 anos, cuja identidade é desconhecida, foi detido por assassinato na cidade de White Pine situada no estado do Tennessee, Estados Unidos da América. Tanto o acusado como Maykayla Dyer, a sua vizinha de 8 anos de idade, tinham um cachorrinho cada. Segundo o The Guardian, o rapaz terá pedido à menina para lhe mostrar o seu animal de estimação, pedido esse que a menor terá declinado. O rapaz de seguida foi para sua casa buscar uma espingarda do seu pai e a partir de uma janela de sua casa terá disparado, atingindo fatalmente a menina no peito. 

Maykayla acabou por morrer após a sua chegada ao hospital e o seu assassino foi detido e enviado para um centro de detenção para menores de idade, sob acusação de homicídio em primeiro grau.

Publicidade
Publicidade

De acordo com o Diário de Notícias, uma vizinha testemunhou o sucedido, referindo que, pouco antes do incidente, ouviu o rapaz a pedir à menina para lhe mostrar o seu cachorro. Rindo Maykayla ter-lhe-à negado esse pedido, virando-lhe de seguida as costas. Pouco depois foram ouvidos disparos que sobressaltaram a testemunha, bem como a vizinhança em redor.

O rapaz terá conseguido ter acesso fácil à arma usada, tendo em conta que a mesma se encontrava num cacifo que não estava selado. Após os disparos, o homicida terá, inclusivamente, atirado a arma pela janela onde ficou ao lado do corpo da menina moribunda.

A família do rapaz não prestou ainda quaisquer declarações à comunicação social. No entanto, a mãe da menina já manifestou um profundo desgosto pelo sucedido. A mulher, de nome Latasha Dyer, referiu ainda a uma estação televisiva de White Pine que o rapaz metia-se muitas vezes com a vítima quando se mudaram para a vizinhança onde ocorreu o incidente.

Publicidade

A mãe terá inclusive chegado a fazer queixa do rapaz ao diretor da escola que ambos frequentavam.

O funeral da criança decorrerá nesta quarta-feira, dia 7, e será emitido ao vivo pela WIBIR, a televisão local de White Pine. No próximo dia 28 de outubro o rapaz começará a ser julgado em tribunal. #Crime #EUA