O passado sábado, 31 de Outubro, foi mais um dia negro para a aviação civil europeia. O voo 7K9268, um airbus da companhia russa Metrojet, fazia a ligação entre Sharm el-Sheikh, no Egipto, e São Petersburgo, na Rússia, quando se desintegrou no ar, matando assim todos os 224 ocupantes do aparelho. Dois dias depois do acidente são muitas as dúvidas que começam a surgir. A hipótese de avaria técnica parece estar descartada mas vai ganhando contornos a hipótese do avião ter levantado voo com uma bomba a bordo, que foi activada alguns minutos depois da descolagem. Terá este terrível acidente a mão do Estado Islâmico?

Acidente ou homicídio premeditado? As autoridades ainda não conseguem responder a esta questão, mas a verdade é que segundo alguns especialistas, nomeadamente o director do Comité Intergovernamental de Aviação, Victor Sorochenko, “a ruptura ocorreu no ar”, segundo avança o semanário Expresso. Esta informação pode ir de encontro às notícias avançadas de que um grupo representativo do Estado Islâmico no Egipto teria reivindicado o ataque.

Poucos minutos depois do acidente, um comunicado colocado nas redes sociais pelo grupo extremista anunciava que “os soldados do Califado conseguiram abater um avião russo na província do Sinai transportando mais de 220 cruzados que foram mortos”, transcreve o Diário de Notícias.

Publicidade
Publicidade

Surgiu ainda um vídeo que mostra o aparelho a ser atingido, supostamente, por um míssil, apesar de ainda não se ter confirmado a veracidade do mesmo.

Enquanto não se obtêm conclusões, a Rússia prossegue o luto pelas vítimas que eram na sua totalidade desse país, à excepção de três ucranianos. Os restos mortais de 144 pessoas já chegaram a São Petersburgo. Agora, há que aguardar pela análise das caixas negras para se conseguir perceber mais detalhadamente o que poderá ter acontecido.

A bordo seguiam 138 mulheres, 62 homens, 17 crianças e 7 membros da tripulação, que regressavam a casa depois de um período de férias no Egipto. As fotografias tiradas pelos passageiros, momentos antes de embarcar no fatídico voo, já estão a inundar a internet. #Acidente de Aviação #Tragédia