Aubrey, de 4 anos de idade, é uma criança que sempre foi criada como sendo rapariga, apesar da sua intersexualidade. No entanto, com o divórcio dos pais, Michelle e Kyle, o ex-casal iniciou uma guerra que envolve o debate relativamente ao verdadeiro género da criança. A mãe afirma que Aubrey quer ser um rapaz, enquanto que o pai acredita que o género da criança é feminino. Este caso #Insólito é similar ao de Lady Colin Campbell de I'm a Celebrety, que começou por ser criada como sendo rapaz, tendo depois resolvido assumir-se como sendo mulher. O caso foi exposto no programa Dr. Phill  e a questão focou-se sobre se a situação seria uma confusão de identidade ou uma lavagem cerebral da parte dos progenitores à criança.

Publicidade
Publicidade

De acordo com o site Parenting, ambos os pais estão cientes de que os cromossomas de Aubrey revelam que a sua identidade é 70% mais masculina do que feminina. No entanto, enquanto ambos estiveram juntos, o casal esteve de acordo relativamente à possibilidade de realização de uma cirurgia que tornaria Aubrey numa menina.

Aubrey está neste momento sob a custódia partilhada por ambos os progenitores. A mãe cortou-lhe o cabelo e deu-lhe roupas de rapaz, para grande desagrado do pai. No entanto, apesar das certezas opostas dos seus progenitores relativamente ao seu género, a criança, conforme refere o vídeo acima, tem atitudes que deixam ainda mais ambígua a sua identidade enquanto rapaz ou rapariga. 

No entanto, cada um dos progenitores trata da criança à sua maneira: em casa da mãe Aubrey é tratada como um rapaz, enquanto que em casa do seu pai Aubrey é encarada como uma menina.

Publicidade

De acordo com o The Huffington Post, Michelle (a mãe) insiste que é desolador o facto de Aubrey "ter que ser uma rapariga" quando está em casa do pai, salientando que apenas quer que o seu ex-marido aceite "o seu filho" como ele é. Já Kyle (o pai) afirma que Aubrey quando está em sua casa prefere brinquedos de rapariga e que, tendo em conta o certificado de nascimento da criança, a sua ex-mulher não deveria estar a tentar mudar a identidade da filha. #LGBT #EUA