Donald Trump, potencial candidato pelo Partido Republicano às presidenciais americanas do próximo ano, encontra-se envolvido numa nova polémica. A base desta polémica está nas mais recentes declarações do conhecido magnata, que indignaram grande parte dos britânicos. Nessas declarações, hoje (9 de Dezembro) publicadas na edição online do Jornal Expresso, Donald Trump refere que "existem zonas em Londres de tal forma radicalizadas que fazem com que os polícias temam pelas suas próprias vidas". Já após ouvir estas declarações, foi o próprio Presidente da Câmara de Londres a afirmar que tal opinião é "uma completa idiotice".

Como consequência destas declarações do potencial candidato presidencial, foi elaborada uma petição para que o mesmo seja impedido de entrar no Reino Unido.

Publicidade
Publicidade

Esta petição, que está a decorrer no site do Parlamento Britânico, já conta com mais de 160 mil assinaturas (mais concretamente 164.365 assinaturas às 14h20, de acordo com a mesma notícia do Jornal Expresso online).

Toda esta nova polémica a envolver Donald Trump foi originada pelas declarações do conhecido magnata americano que, após o recente tiroteio que ocorreu em San Benardino, na Califórnia, afirmou que os muçulmanos deveriam ser impedidos de entrar nos Estados Unidos. Foi o próprio Donald Trump quem referiu ter os resultados de um estudo em que ficou provado que um em cada quatro muçulmanos defende a violência e a agressão, além de terem uma atitude hostil para com os Estados Unidos. 

Evidentemente que estas declarações foram fortemente criticadas um pouco por todo o mundo, isto porque Donald Trump também se referiu ao caso dos atentados em Paris.

Publicidade

Trump verbalizou ainda que tanto em Paris como na zona de Londres existem zonas em que a polícia evita ir, devido a estarem muito radicalizadas. 

Também a própria polícia londrina já se pronunciou sobre Donald Trump. Um porta-voz dessa polícia referiu que "é importante informar os londrinos que Trump está totalmente errado", dizendo ainda que qualquer um dos candidatos americanos às presidenciais poderá ser informado sobre o policiamento britânico caso necessite. #Política Internacional #EUA #Eleições Americanas