Parece já não haver uma solução para as relações diplomáticas entre a Rússia e a Turquia. Durante a cimeira internacional do clima em Paris, o presidente russo acusou a Turquia de estar a comprar petróleo ao Daesh. Embora o Kremlin tenha descartado a hipótese de uma retaliação militar contra Ankara como resposta ao abate do seu caça russo, não hesitou em impor sanções económicas à Turquia. Mas a fúria russa não parece terminar por aqui. Em plena cimeira internacional do clima, Vladimir Putin fez a seguinte declaração:

 “Até ao momento, recebemos informação adicional confirmando que as reservas de petróleo controladas por militantes do Estado Islâmico entram em território turco a uma escala industrial.

Publicidade
Publicidade

Temos todas as razões para acreditar que a decisão de abater a nossa aeronave foi guiada pelo desejo de garantir a segurança das rotas de entrega deste petróleo em portos de onde são enviados em petroleiros”. Tais declarações foram negadas pelo presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, dizendo: “Nós comprámos à Rússia, Irão, Azerbaijão, Qatar e Nigéria. Não aceitaremos tais calúnias”. 

Esta troca de declarações, apesar de Vladimir Putin deliberadamente ter ignorado Erdogan em Paris, acontece numa altura onde as tensões na fronteira entre a Turquia e a Síria se agudizam. A Rússia, segundo o Aljazeera, aliou-se agora a um grupo de rebeldes curdos anti-Daesh no norte da Síria e mobilizou mísseis terra‑ar a fim de impor a proibição de voar naquela região que, aliás, já tinha sido proposta por Erdogan aos EUA este mês (novamente), mas alegadamente para permitir que alguns refugiados pudessem regressar. 

Contudo, o governo Americano mostra-se apreensivo com tal medida.

Publicidade

No quarto debate republicano realizado este mês em Milwaukee, no estado do Wisconsin, o Senador Rand Paul defendeu que tal medida significa que “estamos a pedir por uma zona de não‑vôo numa área na qual já voa a Rússia”. O senador acrescentou ainda que "A Rússia voa naquela zona a pedido do Iraque" e que tomada essa medida isso significa que "temos de abater aviões russos. Se vocês estão prontos para isso, estejam prontos para enviar os vossos filhos e filhas para outra guerra no Iraque". #Terrorismo #Política Internacional