Já o planeta inteiro sabe que o potencial candidato presidencial Donald Trump tem uma certa aptidão para desagradar a todos e a mais alguém, devido aos seus comentários muito pouco humanistas. Mas talvez o planeta não saiba que esse desagrado também se estende ao universo da #Música, mais concretamente ao heavy metal e, por isso, o seu mais recente inimigo é Randy Blythe, vocalista dos norte-americanos Lamb of God, que numa entrevista ao site Metal Insider, e quando questionado sobre qual a sua opinião sobre este eventual candidato republicano à Casa Branca, teceu alguns comentários poucos simpáticos, afirmando que "acho que ele vai queimar-se.

Publicidade
Publicidade

Eu acho que ele vai dizer algo tão absolutamente estúpido que as pessoas já não vão ser capazes de aceitar o que ele diz".

Contudo, o músico analisa num tom conspirador toda esta situação, ponderando o facto do candidato poder ser "um palhaço intencional, uma ferramenta. Eu não sei se ele quer ser mesmo presidente. Ele pode ser apenas uma manobra de diversão para o Partido Republicano dizer 'neste momento, precisamos de ser rigorosos quanto à nossa política de relações internacionais, mas não com este tipo', por isso eles vão arranjar alguém que seja mais moderado para o cargo. Eles vão dizer que momentaneamente ainda precisamos de ser fortes, belicistas, mas não, nada de Donald Trump. Quero dizer... as coisas que ele diz são ridículas. Ele só diz balelas".

Finalmente, Randy Blythe confirma, como muitos outros que não simpatizam com o empresário, que o discurso de Donald Trump é deveras polémico, mas vai mais longe ao dizer que "estou a tentar ler entre as linhas e a ver se é isso o que está a acontecer.

Publicidade

Se eles estão algures nos bastidores e o Donald Trump está a dizer 'eu digo que devemos usar o método da Alemanha nazi e fazer com que todos os muçulmanos usem uma lua crescente amarela no braço', tal como a Gestapo fez com os judeus na Alemanha nazi. Ele pode ser apenas um palhaço. Porém, se ele for o presidente, eu ausento-me da América, enquanto ele estiver cá". #EUA #Eleições Americanas