Um menino de 3 anos esteve cerca de 19 horas perdido numa floresta na zona de Girona (Espanha). A criança desapareceu por cerca das 17 horas de quinta-feira passada, 31 de Dezembro, pouco tempo depois de ter chegado a uma unidade de turismo rural para passar a passagem de ano com os pais, uma irmã e outros amigos. As autoridades montaram uma vasta operação de busca, que envolveu cerca de 500 pessoas, mas a criança viria a ser localizada por um proprietário de uma quinta, a dois quilómetros de distância do local do #Desaparecimento.

“Foi um milagre tê-lo encontrado e nunca mais me vou esquecer em toda a minha vida”, afirmou Josep Ribas, um médico de 38 anos, citado pelo El País, que encontrou o pequeno Jordi, que apresentava alguns arranhões no rosto e estava sem meias e sapatos.

Publicidade
Publicidade

A alegria de todos aconteceu às 13:30 horas de sexta-feira, 1 de Janeiro, quando Josep, que integrava os meios de busca, comunicou ao número de emergência que tinha localizado o pequeno Jordi, a tremer de emoção e de felicidade. Um final feliz, mas que poderia ter sido trágico.

Era para ser uma noite feliz

Estava tudo planeado para ser uma noite de passagem de ano vivida com muita alegria, mas assim não aconteceu. Um grupo de amigos reservou umas casas rurais para celebrar a chegada do novo ano, num local único, em plena montanha rodeada de floresta. Eram cerca das 17 horas do último dia de 2015, e enquanto os pais arrumavam os bens no interior da habitação, as crianças brincavam na rua. Terão bastado poucos segundos para perderem de vista o pequeno Jordi. Procuraram-no, mas sem sucesso e meia hora depois já estavam a solicitar por socorro através da linha de emergência 112.

Publicidade

Perante o alerta para o desaparecimento, as autoridades montaram, de imediato, uma operação de busca, envolvendo bombeiros, polícias e militares. Juntaram-se dezenas de populares, tendo as buscas decorrido durante toda a noite. Ao início da manhã desta sexta-feira juntaram-se outros meios, incluindo dois helicópteros, e mais voluntários. No terreno estiveram mais de 500 pessoas, oriundos de diversos pontos da Catalunha, que palmearam toda a área envolvente, numa busca minuciosa em todos os cantos e recantos.

Josep Ribas e seu pai participaram também naquelas operações de busca, convictos que a criança não poderia ter ido para muito longe. A poucas centenas de metros da sua casa ouviram um gemido que associaram inicialmente a um gato. Contudo, seguiram o som até que ouviram um “papá”. Eis quando o médico Josep Ribas encontrou, no meio dos arbustos, o pequeno Jordi. Especialistas estão convictos que o menino terá adormecido e ali passado a noite. Contudo, para Josep Ribas “foi um milagre”.