Manuel Bissopo sofreu uma tentativa de assassinato na tarde de quarta-feira, dia 20 de janeiro, na cidade da Beira, na província central de Sofala. Alguns indivíduos desconhecidos, numa viatura de dupla cabine, abriram fogo com recurso a uma arma do tipo AKM contra o veículo do secretário-geral do partido da Renamo (Resistência Nacional Moçambicana). O incidente deu-se nos semáforos na avenida Moisés Serpa, em frente à  Direção Regional do Instituto Nacional de Transportes Terrestres (INATTER).

O referido atentado provocou ferimentos graves ao secretário-geral da Renamo e a morte do seu ajudante de campo. Segundo as informações divulgadas pela Imprensa Nacional "Rádio Moçambique", Manuel Bissopo encontra-se em tratamentos médicos intensivos numa das unidades hospitalares daquela cidade, encontrando-se fora de perigo.

Publicidade
Publicidade

Quando questionado o secretário-geral e deputado da Assembleia da República de Moçambique pela bancada da Renamo, sobre o atentado contra si, protagonizado pelos indivíduos agora procurados pela Polícia, afirmou: "Estava parado no stop, logo apareceu uma viatura dupla cabine e disparou três tiros". Sobre o mesmo atentado, o porta voz provincial da PRM em Sofala, Daniel Macúacua, afirmou que a corporação recebeu o comunicado sobre o incidente às 14 horas, horário de Maputo (Moçambique), e garantiu que se fariam diligências de modo a neutralizar os autores daquele crime.

De referir que Manuel Bissopo encontrava-se, na manhã do dia do atentado, numa reunião com outros membros do seu partido em uma das instâncias hoteleiras da cidade da Beira.

A Renamo, o maior partido da oposição em Moçambique, tem sido ultimamente alvo de atentados contra os seus líderes séniores por indivíduos desconhecidos.

Publicidade

É o caso das duas tentativas de assassinato ao seu líder, Afonso Dhlakama, ocorridas nos finais do ano passado na zona Centro de Moçambique.

É de recordar que, durante esta semana, ocorreu um homicídio, que se pensa ter sido cometido por supostos homens da Renamo. Em Vandúzi, no distrito de Gorongosa, no norte da província, um indivíduo identificado como Paulo José, de 63 anos de idade, foi baleado mortalmente na madrugada de terça-feira.

 

 

 

  #Política Internacional