Um autocarro que levava jovens participantes no Programa Erasmus ficou tombado em plena autoestrada da Catalunha. A razão que fez com que o condutor perdesse o controlo do veículo e batesse num automóvel que seguia em sentido oposto ainda não foi apurada pelas autoridades. O veículo "bateu nos rails de protecção do lado direito da estrada, terá guinado de tal forma para a esquerda que foi parar ao outro lado da estrada", disse o autarca Joseph Roncero. O veículo seguia para norte, saiu de Valência e dirigia-se para a Catalunha. 

A violência do choque foi tão grave que causou a morte de 13 jovens, todas do sexo feminino, e fez mais 43 feridos, dos quais 4 se encontram em estado considerado muito grave. Uma das pessoas responsáveis pela prestação de socorro às vítimas comentou dizendo que as vítimas "estavam a reagir de maneira diferente, reacções normais neste tipo de situações.

Publicidade
Publicidade

Estamos a mantê-los juntos, porque é o que pedem". 

No interior do autocarro seguiam cerca de 60 estudantes de várias nacionalidades, que tinham idades compreendidas entre os 22 e os 29 anos. A maioria encontrava-se em Espanha ao abrigo do Programa Erasmus. Este programa permite a troca de alunos entre instituições universitárias europeias. 

Em parceria com a polícia, o governo catalão também está a trabalhar para descobrir a causa deste #Acidente. Ainda não se sabe se terão sido razões relacionadas com avaria mecânica do veículo ou razões humanas. 

O acidente aconteceu por voltas das 5 da manhã (hora local) perto de Tarragona, quando os estudantes regressavam a Barcelona. O autocarro era o último de um grupo de 5. O conjunto de autocarros foi alugado por um grupo de estudantes para ir a Las Fallas, festa tradicional da cidade de Valência. 

Os estudantes que saíram ilesos, embora com marcas do acidente, encontravam-se emocionalmente abalados; encontravam-se em estado de choque, mas sentiam-se com sorte de estarem vivos, avançou o responsável que falou com a comunicação social.

Publicidade

 

O acidente foi o segundo mais grave dos últimos 15 anos em Espanha. O condutor do autocarro, um dos feridos ligeiros, foi ouvido pela polícia da Catalunha e submetido a testes de álcool e droga que deram negativos.