Tal como tinha já acontecido no dia 17 de Fevereiro, deu-se ontem, 13 de Março,mais um atentado em Ancara, capital da Turquia. O atentado foi feito por meio de um carro que estava armadilhado e que acabou por explodir. Até ao momento sabe-se que morreram 37 pessoas e centenas ficaram feridas

De acordo com o jornal Manhãs CM, as autoridades da Turquia acreditam que os responsáveis pelo ataque podem ter sido militantes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK). Como consequência, esta manhã a aviação turca bombardeou as bases dos rebeldes no Norte do Iraque.

O atentado fez com que numa questão de segundos o centro da cidade de Ancara se transformasse num palco de destruição e sofrimento. Uma vítima falou com os jornalistas presentes no local dizendo que "o carro veio até nós.

Publicidade
Publicidade

Dez segundos depois, os bancos do autocarro voaram e seguiram-se as explosões". A vítima encontrava-se com a cara coberta de sangue e seguiu dizendo, "um pedaço de metal bateu-me. Havia um carro preto. Vi 5 pessoas mortas".

O número de vítimas mortais e de feridos foi aumentando com o passar das horas. O automóvel preto de que falava a vítima presente no local estava carregado de explosivos, segundo afirma o governador de Ancara, e bateu contra um autocarro. 

Na praça onde tudo aconteceu ficam um terminal de autocarros, uma estação onde se cruzam duas linhas do metropolitano e ainda uma esquadra da polícia e vários edifícios governamentais. Quando aconteceu a explosão o local encontrava-se com muito movimento de pessoas e veículos. 

Perante os dados recolhidos até ao momento, as autoridades turcas acreditam que a explosão terá sido levada a cabo pelos militantes do PKK.

Publicidade

Na sexta-feira, a embaixada norte-americana em Ancara tinha emitido um aviso aos cidadãos norte-americanos dizendo que evitassem a cidade. Em causa estava a possibilidade iminente de um ataque terrorista nos dias seguintes. Não existe ainda nenhuma declaração por parte da embaixada norte-americana dizendo qual a causa desse comunicado e como obtiveram conhecimento do que poderia acontecer naquela cidade.  

  #Terrorismo