Depois da polémica das primárias no Arizona, os apoiantes de Bernie Sanders continuam a denunciar outras fraudes que já visam eleições futuras. Hillary Clinton estará a enviar cartas a vários apoiantes de Bernie Sanders com informações falsas acerca dos locais de voto no estado de Washington, que realizará o "caucus" democrata este sábado. Já surgiram várias imagens das cartas enviadas por Hillary nas redes sociais, principalmente Twitter, através da hashtag #AZElectionFraud. Mas não só! Vários votantes nos estados de Nova Iorque, Califórnia, Pensilvânia e Maryland têm aparecido como independentes ou republicanos, apesar de se terem registado como democratas.

Publicidade
Publicidade

As primárias nestes 4 estados, bastante importantes e com a maior fatia de delegados dos que restam, são fechadas, permitindo apenas que democratas votem.

Isto surge após primárias no Arizona bastante atribuladas. Alegadamente, várias pessoas chegaram a esperar até 5 horas e muitas acabaram por não conseguir votar por estarem registadas como republicanas ou independentes, apesar de se terem registado antes do tempo limite como democratas.

Além disso, terão sido disponibilizados papéis de voto diferentes dos normais, porque estes tinham acabado. Esses papéis de voto não terão sido contados. Algo que vários votantes também criticam é o facto de quando ainda estavam milhares nas filas para votar os resultados já estarem a ser lançados e Hillary já estar confirmada como a vencedora.

Publicidade

Uma espécie de sondagem feita a algumas pessoas após saírem dos locais de voto deu uma vitória confortável de Sanders na casa dos 60% num condado do estado do Arizona onde os resultados oficiais apontaram 53% para Hillary. Outra votação realizada em Phoenix, capital e maior cidade do Arizona, apontou uma vitória de Sanders de pelo menos 60% sobre Hillary; porém, os resultados oficiais apontaram uma derrota de Sanders e por números consideráveis.

Além disso, uma projeção de um analista americano mostrou Sanders a ganhar por 56% no Arizona, sendo que este analista já tinha acertado na maioria das primárias e quando errou foi por muito pouco, já que usou o mesmo sistema em todos. Até pessoas que já votaram em outras eleições como democratas apareceram como independentes, republicanos ou até não registados. Estas suspeitas de fraude levaram à criação de uma petição que pede que a Casa Branca investigue as primárias no Arizona. A petição já foi assinada por mais de 110 mil pessoas, sendo esperada uma reposta por parte da Casa Branca.

Publicidade

Com 71% dos votos contados no Arizona, Sanders tinha 36.4% dos votos e com 78% já tinha 39.7%. Um crescimento abrupto que é bastante suspeito, já que para haver um crescimento destes Sanders precisaria de ter ganho todos estes 7% dos votos. Em alguns condados estima-se que metade ou até mais dos que votaram não tiveram os seus votos contados. Alguns locais de voto ainda terão sido evacuados por suposta ameaça de bomba, mas segundo votantes essas ameaças eram falsas e só serviram para beneficiar Clinton e prejudicar Sanders. Resultados lançados no site do principal condado do Arizona apontam que Sanders terá ganho quase 60% dos votos em pessoa, ou seja de pessoas que foram aos locais de voto na altura das eleições e que não votaram antes ou online. Ou seja, se toda a gente que estivesse verdadeiramente registada tivesse podido votar, então os resultados seriam bastante diferentes. Vários apoiantes de Sanders já afirmam não votarão em Hillary, o que poderá prejudicar as aspirações dos democratas nas eleições gerais caso Hillary seja a nomeada.

Nas redes sociais a revolta é enorme e começa a tornar-se óbvio que esta "guerra" não irá terminar tão cedo. Sanders já descreveu a situação no Arizona como uma "desgraça", mas Hillary mantem-se calada quanto ao assunto. Continuam a surgir várias mensagens no Twitter a alertar os votantes das fraudes que estarão a ser cometidas nos estados mais importantes que se seguem e pedem para que toda a gente verifique se está registada. #Política Internacional #EUA #Eleições Americanas