A Indonésia voltou a tremer. Ainda na memória de muitos locais deve estar a tragédia ocorrida em 2004 quando, depois de um violento terramoto, o mar entrou pela terra e destruiu tudo que encontrou. Hoje, quarta-feira, dia 2 de Março, por volta das 12h45 em Portugal Continental, voltou a sentir-se um grande sismo, próximo da ilha de Sumatra. De acordo com as últimas informações, o sismo terá tido uma magnitude de 7,9 na escala de Richter e incidiu sobretudo na ilha de Sumatra. Devido ao violento tremor, foi emitido de imediato um alerta de tsunami numa das zonas mais atingidas pelo trágico tsunami de 2004.

A ocorrência registou-se por volta das 18h45, hora local.

Publicidade
Publicidade

O epicentro localizou-se a 808 km de Padang e a uma profundidade de 24km. Inicialmente os especialistas apontaram para um sismo de 8,2 na escala de Richter, mas baixaram depois para 7,9. De acordo com os relatos de um dos habitantes, o sismo não deverá ter sido longo, tendo sido indicado à Reuters uma duração de cerca de 15 segundos. Também em Singapura há registos de que o sismo possa ter sido sentido.

A Indonésia fica situada no chamado Anel de Fogo do Pacífico, uma das zonas com maior actividade sísmica. O estado de emergência foi declarado na ilha de Sumatra, sendo que a Austrália emitiu igualmente o mesmo alerta para as suas ilhas de Cocos e Natal. Passadas algumas horas, e segundo as últimas informações, o alerta de tsunami já foi levantado, sendo que ainda se mantêm a expectativa do que poderá vir a acontecer.

Publicidade

Até ao momento fala-se em alguns mortos, apesar de não ser concreto nem o número nem qual a localidade em que poderá ter havido maior destruição. Porém, o site da RTP cita o comunicado do Serviço Geológico dos Estados Unidos que refere existir baixa probabilidade de vítimas e estragos”.

A tragédia de 2004

A 26 de Dezembro de 2004, e depois de um terramoto de 9,1 na escala de Richter, as ilhas do Índico foram atingidas por um valente tsunami. As zonas costeiras de onze países foram completamente galgadas pelas ondas, deixando para trás um rasto de destruição e a morte de mais de 250 mil pessoas. #Catástrofes Naturais