O caso ocorreu no passado dia 26 de Abril (terça-feira) quando foram encontradas 11 pessoas mortas num posto militar da ilha cabo-verdiana de Santiago. Oito corpos eram de militares e três de civis (dois espanhóis e um cabo-verdiano). O Ministro da Administração Interna de Cabo Verde, Paulo Rocha, revelou: "Um soldado afecto ao próprio destacamento encontra-se desaparecido e há fortes indícios de que o mesmo esteja envolvido". Nesse mesmo dia à noite, o ministro adiantou que tinham sido recuperadas do interior de um automóvel, na zona da Cidadela-Palmarejo, nove espingardas e as suas munições. Segundo o jornal A Nação, estas armas poderiam ter sido usadas nos assassinatos.

Publicidade
Publicidade

No início da tarde de quarta-feira o suspeito do massacre foi detido quando fazia um taxista de refém no bairro da Fazenda. Foi levado pelas autoridades para a esquadra da Achada de Santo António e identificado como sendo o militar Manuel António Silva Ribeiro, de 22 anos.

Os seus familiares já tinham entrado em contacto com a polícia e apresentaram-se na esquadra afirmando que o suspeito lhes terá confessado que tinha executado as vítimas uma a uma, chamando por elas e disparando em seguida. Um dos familiares terá dito às autoridades que na noite de segunda-feira o suspeito foi dormir a casa no Palmarejo e que lhe mostrou as fotografias dos corpos, que tirou com o telemóvel. Anthany, como era conhecido, terá dito ainda ao familiar que disparou contra os militares por ser alvo de maus tratos no quartel e que apenas matou os três civis porque queria o veículo deles para abandonar o posto e que estes teriam resistido.

Publicidade

Foram encontrados uma das armas desaparecidas e três carregadores em casa de familiares do militar, que as terá deixado lá antes de voltar a desaparecer, o que vem corroborar os depoimentos.

Anthany foi praticamente criado pelo padrasto Albertine Pires, que disse que quando o jovem acabou o 12º ano só queria ir para a tropa e quando saísse da tropa (faltavam pouco mais de 2 meses) já tinha os documentos prontos para ir para os Estados Unidos. O padrasto terá dito que Anthany sempre teve um "comportamento normal, sem sinais de agressividade", temperamento confirmado por outro familiar, que o caracteriza como uma pessoa "calma".

O funeral de três dos militares assassinados acontece esta quinta-feira, rodeado de consternação. O Governo cabo-verdiano decretou dois dias de luto nacional.  #Crime