Irma Bule tinha 29 anos e era uma estrela pop da Indonésia. A cantora perdeu a vida na segunda-feira de manhã, depois de dar entrada no hospital, no sábado, por ter sido mordida por uma cobra-real. A estrela pop era conhecida por ter espectáculos elaborados e usar cobras durante as suas performances. O uso de serpentes é muito comum na Indonésia, especialmente em zonas rurais, onde os artistas usam estes répteis para dançar durante os espectáculos de forma a entreter o público.

Irma encontrava-se em concerto no último sábado, na ilha de Java, e durante uma das músicas pisou acidentalmente a cauda de uma das cobras (a cobra-real) que tinha em palco, acabando por ser mordida na coxa.

Publicidade
Publicidade

A cantora pensava que a cobra-real, que se chamava "Rianti", tinha tido os dentes removidos.

A estrela pop continuou o concerto por mais 45 minutos, após um tratador de animais a ter separado da cobra. Irma recusou, alegadamente, assistência médica imediata e também o antídoto oferecido pelo tratador dos animais. Devido à falta de medicação, a cantora não resistiu, começou a vomitar e ter convulsões e acabou por perder os sentidos em palco. A cantora foi retirada do local e encaminhada para o hospital, onde perdeu a vida. 

Apesar da espécie de cobra que picou a cantora não ter um dos venenos mais agressivos entre os répteis, esta espécie tem a capacidade de espalhar grandes quantidades tóxicas depois da picada. A sua picada é capaz de matar 20 homens ou mesmo um elefante. 

De acordo com uma fonte citada pelo Mirror, o acidente, que se revelou fatal, aconteceu na localidade de Karawang, na região oeste da ilha de Java, a segunda maior ilha do país. Um amigo da cantora disse aos media da Indonésia que a estrela pop "foi mordida quando cantava a segunda música e morreu na segunda-feira de manhã".

Publicidade

Não existem informações se a polícia local irá abrir alguma investigação sobre a morte de Irma Bule, visto que a cantora acabou mordida porque os dentes da cobra que estava em palco não tinham sido removidos.  #Tragédia