Está lançada a chama! Bernie Sanders tem acusado Hillary de ser financiada pela indústria de combustíveis fósseis americana. A guerra de palavras entre os dois começou depois ativista da organização ambiental Greenpeace ter perguntado à candidata Democrata se iria passar a rejeitar o dinheiro vindo da indústria de combustíveis fósseis. Mas Clinton respondeu de forma brusca, que pode ter prejudicado a imagem da candidata, e além disso criticou Sanders por mentir (veja o vídeo no final da notícia). Porém, a verdade diz "não" à candidata, já que existem provas de que Hillary é financiada pela indústria de combustíveis fósseis  e não foi a campanha de Sanders a lançar isso.

Publicidade
Publicidade

Várias organizações acusam Hillary de aceitar o dinheiro dessa indústria, ele apenas aproveitou as provas que existem para acusar Hillary e tentar ganhar alguns votos a seu favor.

Foi uma resposta inútil de Hillary que poderá prejudicar-lhe a campanha. A candidata democrata já tinha rejeitado um debate em Nova Iorque, por achar o tom de voz com que Sanders falava com ela, demasiado rude. Mas a população de Nova Iorque não parece muito contente e seria bom para ambas as campanhas participar de um debate na cidade. O facto de Hillary rejeitá-lo deixa no ar uma maior dúvida nos nova-iorquinos e lança a ideia de que a candidata poderá estar com medo de um possível debate, que talvez até favorecesse o senador de Vermont; mas não haver nenhum deverá prejudicar mais Hillary do que Bernie.

Publicidade

Não bastando estas duas atitudes negativas de Clinton, ainda há mais: a principal favorita a ser a nomeada pelo Partido Democrata nas eleições gerais não gera muito entusiasmo nos jovens e não consegue receber uma aprovação geral por parte dos Americanos. A acusação de ser mentirosa é comum e o facto de ter estado no lado errado da História por muito tempo, e de fazer parte do "establishment", arruínam a sua reputação principalmente entre independentes e republicanos, mas também entre muitos democratas que ameaçam votar por Trump caso Hillary seja a nomeada.

Divisão também no GOP

Mas não é só no Partido Democrata que se espera divisão; também no Republicano, onde, caso Trump seja o escolhido, muitos dizem não votar nele. São dois candidatos que geram divisão entre as pessoas e que, tendo em conta a opinião geral dos americanos nesta altura, não são candidatos de consenso e não receberão a aprovação da maioria dos americanos, algo que não é nada bom.

Mas há dois candidatos de cada lado que geram entusiasmo e que não ameaçam trazer divisão, Bernie Sanders pelos democratas e John Kasich pelos republicanos são os únicos que recebem aprovação geral por parte dos americanos.

Publicidade

O segundo é mesmo o favorito a ser eleito presidente caso seja o nomeado republicano, é o único do partido com hipóteses reais segundo as últimas sondagens de vencer o candidato democrata. O facto de ser um moderado beneficia-o entre os independentes que são um grupo muito importante e que não vê com bons olhos as nomeações de Clinton e Trump.

Bernie Sanders é o único candidato democrata com hipóteses de derrotar Kasich na eleição geral e a verdade é que a sua nomeação, apesar de parecer difícil, é talvez mais provável do que a de Trump, já que Kasich é bem visto pela base do partido republicano e faz parte do "establishment" do partido. O facto de ser o único republicano com possibilidades de ganhar faz com que, no caso de uma primária republicana dividida, onde nenhum dos candidatos consegue os delegados suficientes para ganhar, que é o que parece que vai acontecer se a corrida continuar a três, ele seja um forte desejo dos delegados do partido que então poderão votar ao seu gosto nessa altura. Por enquanto, Hillary Clinton soma uma vantagem confortável sobre Bernie Sanders, 1,266 contra 1,038. Mas as próximas duas corridas são em Wisconsin e Wyoming devem favorecer Sanders, seguindo-se depois o estado de Nova Iorque.

#Política Internacional #EUA #Eleições Americanas