Foi em 2015 que Megan Sullivan, fotógrafa, recebeu uma das piores notícias da sua vida, o diagnóstico de cancro de pele. Em duas semanas a fotógrafa teve um acidente de viação, caiu de uma altura de quinze metros numa escalada em Yosemite e recebeu o diagnóstico de #Cancro. Quando tudo parecia estar a desabar diante de si, não ficou deprimida. Deixou tudo para trás, decidiu viver a vida com mais intensidade, viajar pelo mundo e conhecer as Sete Maravilhas do Mundo em doze dias. Retirou as células malignas numa operação e partiu para conhecer o mundo, como há tanto tempo aspirava.

Percorreu 45401 quilómetros, conheceu doze países e ficou sem um tripé.

Publicidade
Publicidade

Apesar de tudo isso, confessa que a experiência foi merecedora quando conheceu a Grande Muralha da China, o Taj Mahal na Índia, Chichén Itzá no México, as Ruínas de Petra na Jordânia, Machu Picchu no Peru, o Cristo Redentor no Brasil e o Coliseu de Roma em Itália. 

Megan Sullivan registou a sua viagem num blogue e no Instagram. Sullivan reconhece que para viajar não é preciso ser o Bill Gates, ou seja, ter muito dinheiro. No entanto, confessa que o seu vencimento acima da média lhe permitiu realizar o seu sonho de viajar pelo mundo. 

Durante a viagem Sullivan gastou 5592 euros e deu indicações úteis aos seguidores de como economizar em alimentação, vistos, voos e transportes. Confessa que durante quatro anos juntou algum dinheiro para a viagem. Porém, para aqueles que pretendem viajar imediatamente, podem fazer o que Sullivan fez: de acordo com o site do Jornal de Notícias, vendeu tudo o que já não tinha utilidade para si no Ebay.

Publicidade

Outro caso merecedor inspiração é o de uma norte-americana de 90 anos, Norma, diagnosticada com cancro em 2015. Em vez de prosseguir com tratamentos de combate ao cancro, decidiu viajar pelo mundo.

Foi depois da morte do marido que a americana ficou a saber que tinha cancro. Depois da notícia devastadora decidiu vendar a sua habitação e viajar com o seu filho, a sua nora e o seu cão.

Atualmente com 91 anos, já viajou centenas de quilómetros, de acordo com o site da Lux.

#Casos Médicos #Viagens