Foi divulgada ontem (3 de Abril) pelo Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação uma lista já conhecida como os "documentos do Panamá", que contém o nomes de personalidades ligadas à política, ao futebol e ao mundo empresarial, que administravam o seu património através de empresas "offshore" e de paraísos fiscais. Esta lista inclui nomes como o do presidente da Argentina, o jogador de futebol Lionel Messi, o cineasta espanhol Pedro Almodóvar, o rei da Arábia Saudita e muitos outros.

A lista chega até ao público devido a uma fuga de informação que envolve a empresa de advogados panamiana Mossack Fonseca. Bancos e subsidiárias também estão listadas por estarem envolvidas na criação das empresas em paraísos fiscais.

O Ministério Público do Panamá abriu uma investigação devido a estas revelações.

Publicidade
Publicidade

A empresa de advogados negou à agência espanhola Efe qualquer ligação aos delitos referenciados na lista e comunicou aos clientes ter sido alvo de um ataque informático e que os dados destes poderiam ter sido comprometidos. Alega, no entanto, que a empresa nunca foi acusada de qualquer crime e que se detectasse alguma actividade suspeita, o teria relatado de imediato às autoridades.

Os já conhecidos "documentos do Panamá" revelam um sistema legal de construção de empresas que permite às pessoas fugirem ao fisco. Nestes documentos é conhecido já um nome português: Idalécio de Castro Rodrigues de Oliveira, um empresário do Norte do país que figurou também no processo Lava Jato. Estes são apenas alguns dos nomes que já foram revelados, mas a lista promete ser longa e ainda está a ser divulgada.

Publicidade

Pedro Santos Guerreiro, director do Expresso, teve acesso directo aos documentos e explica que são mais de 11 milhões de documentos que incluem transacções e e-mails.

O impacto desta notícia já se fez sentir na Islândia, onde a oposição pediu de imediato a demissão do Primeiro-Ministro e na Austrália já foram postas em curso investigações que têm como alvo 800 cidadãos com contas "offshore" e envolvidos em esquemas de corrupção. #Famosos #Lionel Messi #Imprensa