Um militar norte-americano matou o comandante de uma unidade de treino militar da Força Aérea norte-americana. O #Crime aconteceu ontem, sexta-feira, 8 de Abril, na base da Força Aérea norte-americana de San Antonio, no Texas. Ainda não foram divulgados os nomes das vítimas do incidente que foi primeiramente considerado como tiroteio, mas sabe-se que o alegado autor dos disparos trabalhava como piloto, segundo o site Air Force Times. 

Quando a notícia foi divulgada pensou-se que se tratava de um tiroteio, mas depois de mais informações o caso ficou definido como sendo um homicídio seguido de suicídio.

Por volta das 9 horas de manhã, hora do Texas, 15 horas em Lisboa, foi reportado à polícia que havia um homem na base Lackland da Força Aérea que disparava contra as pessoas presentes no local.

Publicidade
Publicidade

As autoridades competentes enviaram alguns agentes para o lugar, que fica perto da cidade de San Antonio, daí que, como medida de protecção, as residências e estabelecimentos públicos das redondezas tiveram de ser fechados, incluindo 3 escolas.

Enquanto a operação decorria, os agentes usam o Twitter para actualizar a população do que ia acontecendo dentro das instalações. Num dos tweets o gabinete do xerife local publicou a seguinte mensagem: "Temos a lamentar dois mortos na base aérea de Lackland, os polícias estão ainda no interior do complexo".

James Keith, porta-voz do gabinete de xerife do condado de Bexar, disse ao meios de comunicação que quando os agentes entraram na base depararam-se com dois cadáveres num dos quartos do local, explicando que até aquele momento tudo apontava para que tenha sido um caso de homicídio seguido de suicídio.

Publicidade

Junto dos corpos foram também encontradas duas pistolas. 

A investigação deixou de fazer parte da jurisdição da polícia do Texas e passou para as mãos do FBI, que se negou, na altura da descoberta dos corpos, a identificar quem eram as vitimas. O FBI argumentou que os primeiros interessados nessa informação eram as famílias dos dois militares falecidos.  #EUA