Uma estudante universitária de 22 anos morreu depois de o ex-namorado a ter agredido, regado com gasolina e ateado fogo. A jovem ainda pediu por socorro, mas nenhum dos condutores que passou no local parou. O rapaz, de 27 anos, já confessou o homicídio às autoridades, ocorrido pouco dias depois de a rapariga ter acabado o relacionamento conflituoso que ambos mantinham há cerca de dois anos. Para além de ter queimado a ex-namorada, o indivíduo, vigilante de profissão, incendiou o automóvel da vítima, que ficou totalmente destruído.   

Dois jovens italianos, Sara Di Petrantonio, uma estudante universitária de Economia, e Vincenzo Paduano, vigilante, namoraram durante cerca de dois anos.

Publicidade
Publicidade

Um relacionamento conflituoso que acabou da forma mais trágica. Sara terá acabado o namoro definitivamente há cerca de 20 dias e até estava a tentar uma nova relação com um antigo colega. Uma situação que Vincenzo nunca aceitou.

Na noite do passado sábado para domingo, o rapaz vigiou a ex-namorada e perseguiu-a quando ela conduzia o seu automóvel em direcção a casa. Horas antes terá estado em casa da ex-namorada a discutir com ela, mesmo perante a presença da mãe daquela.

Numa estrada isolada, próximo de Roma, o rapaz conseguiu fazer com que a jovem parasse. Discutiram e ele acabou por agredi-la, tentando estrangulá-la. Depois, com a rapariga em fuga, conseguiu regá-la com gasolina e ateado fogo. Assim como fez com o automóvel daquela, colocando-se em fuga. Sara ainda terá pedido por socorro a dois automobilistas que passaram no local, mas não pararam nem comunicaram a ocorrência às autoridades.

Publicidade

O corpo da estudante viria a ser encontrado à beira da estrada com fortes sinais de queimaduras, pela sua mãe e um tio que, estranhando a demora da rapariga, foram procurá-la. O automóvel estava a escassos metros, totalmente carbonizado.

A situação terá sido gravada por câmaras de videovigilância de uma unidade industrial localizada na zona. Num primeiro interrogatório policial, Vincenzo Paduano tentou negar a autoria dos factos. Contudo, acabou por confessar, emocionado, o assassinato, alegando que não conseguia aceitar o fim do namoro de ambos. As autoridades acreditam que o rapaz terá premeditado o homicídio, tendo planeado todo o cenário em que o mesmo ocorreu. #Crime #Violência