Os últimos dias de Hillary Clinton têm sido um autêntico pesadelo, ao ser ultrapassada por Donald Trump em algumas sondagens e ao ser acusada de ter cometido ilegalidades em relação ao seu famoso caso dos emails. A tudo isto pode somar-se uma derrota no Estado da Califórnia. As últimas sondagens apontam um empate técnico entre ela e o fenómeno de esquerda, Bernie Sanders. Mas esta derrota poderá ter repercussões inimagináveis ainda há uns meses: Hillary Clinton pode perder a nomeação e se pensa que é para Bernie Sanders, então está enganado. Joe Biden é o escolhido, mas porquê? A resposta é fácil!

Hillary Clinton está sob uma investigação do FBI que se tem desenvolvido nos últimos tempos, podendo resultar numa acusação da atual candidata a presidente.

Publicidade
Publicidade

Além disso, o seu passado é feito de polémicas e inconsistências que fazem os apoiantes de Bernie Sanders questionar a sua honestidade: votou a favor da guerra no Iraque, votou a favor de vários acordos de livre comércio, contribuiu para a atual presença dos Estados Unidos na Síria e no Iraque e até há uns anos era contra o casamento homossexual. Mas isto não é tudo; muito mais está por detrás dela, como o antigo apoio ao fraturamento hidráulico (fracking), técnica de extração de combustíveis líquidos e gasosos do solo que prejudica o ambiente, bem como os discursos dados em Wall Street pelos quais recebeu 200 mil dólares por cada.

E agora o leitor pergunta: se Hillary Clinton está envolvida nestas polémicas todas e em risco de perder contra Donald Trump na eleição geral, então porque é que os Democratas não escolhem Bernie Sanders? Ele não é do establishment! Ele promete lutar contra Wall Street e contra as doações de empresas milionárias e bilionárias para as campanhas presidenciais.

Publicidade

Noutras palavras, ele é contra os principais membros do partido que representam corrupção e ganância. A sua nomeação também não é nada bem vista pelos Democratas, surgindo assim a hipótese Joe Biden.

O antigo consultor da campanha de Hillary em 2008 avançou com esta possibilidade e a verdade é que a possibilidade de Joe Biden ser o nomeado vai aumentando. Biden é o atual vice-presidente dos Estados Unidos, fazendo parte do establishment democrata, o que agrada aos membros do partido. Para além disso, é conhecido por ter políticas mais progressivas e liberais do que Obama e Hillary, estando também livre de qualquer fraude, ao contrário da atual provável nomeada democrata. E se Elizabeth Warren ou até mesmo Bernie Sanders forem escolhidos como vice-presidentes, a vitória democrata deverá ficar a salvo.

Mas tudo isto só será possível com uma vitória de Sanders na Califórnia, a 7 de Junho. As últimas sondagens apontam para uma corrida equilibrada, mas o socialista de 74 anos parece estar quase a viver naquele Estado, fazendo comícios e aparições há já vários dias.

Publicidade

Essa sua concentração na Califórnia poderá ajudá-lo a ganhar a primária daquele Estado, mas poderá prejudicá-lo nos outros estados a votos, como Nova Jérsia, Novo México, Dakota do Sul, Dakota do Norte e Montana. Estes três últimos parecem favoráveis ao concorrente de Hillary, mas os outros serão taco-a-taco. Tudo indica que a Califórnia poderá virar pró-Bernie depois de em 2008 ter votado por Hillary Clinton. Há mais votantes registados do que em 2008, a maioria deles jovens, e os últimos comícios têm reunido vários milhares de pessoas. #Política Internacional #EUA #Eleições Americanas