Um vídeo, com origem na China, mostra os funcionários de um Banco a serem espancados em público, como castigo pelo mau desempenho profissional. As imagens estão a indignar o mundo.

As imagens começam por revelar um homem com um bastão de madeira na mão a perguntar a oito funcionários que estão num palco porque é que não "se excederam" numa determinada tarefa. A seguir, depois de os empregados apresentarem as suas justificações, ele alerta-os para prepararem "os seus traseiros" e começa a bater-lhes.

Funcionários espancados por especialista que ganha 13 mil euros

O vídeo dos funcionários do Banco a serem espancados foi, inicialmente, divulgado na página de Facebook do China's People's Daily, o órgão de comunicação social oficial do Partido Comunista Chinês.

Publicidade
Publicidade

Entretanto, já foi parar a todo o lado, perante o #Insólito do episódio que é visto como uma pura humilhação pública de trabalhadores. O caso envolve um Banco Comercial Rural em Changzhi, no Norte da China, segundo a mesma fonte, e terá ocorrido durante uma conferência de trabalho.

As imagens foram amplamente partilhadas no Weibo, a versão chinesa do Twitter, e já levaram à suspensão de dois executivos do Banco, incluindo do seu presidente, de acordo com os média chineses.

Inicialmente, referiu-se que o homem do bastão seria um dos gerentes do Banco. Mas, afinal, o castigo terá sido aplicado por um especialista em coaching corporativo, durante um exercício de team-building organizado pelo Banco.

Este especialista cobrará qualquer coisa como 13 mil euros pelos seus serviços. Não se sabe se os castigos com bastão de madeira estão ou não incluídos no preço...

Publicidade

Cabelos rapados

Além dos espancamentos com bastão de madeira, os castigos aplicados aos funcionários, pelo fraco desempenho, incluíram ainda cortar cabelos. Um grande sinal de humilhação no país que ultrapassou os 1360 milhões de habitantes e que prevê a pena de morte por corrupção.

Vários funcionários terão tido as suas cabeças rapadas e as suas fotos com o novo visual foram divulgadas na Internet, como parte do castigo.

A sede do Banco anunciou, entretanto, que vai abrir um inquérito para investigar as circunstâncias em que os castigos foram aplicados aos funcionários da sua filial.

Também afirma, no mesmo comunicado, que solicitou ao especialista em coaching para pedir desculpa e que está a ponderar indemnizar os funcionários espancados. #Bancos