Os festejos do Dia da Bastilha, em Nice, na região Sul de França, acabou em tragédia quando um camião abalroou uma multidão de pessoas que estavam em “Promenade des Anglais” para assistir ao espectáculo de fogo-de-artifício. Celebrações do feriado nacional de 14 de Julho que irá ficar, da pior maneira, na história de França. Ainda sem dados finais, as autoridades, que estavam a tratar a ocorrência como um ataque terrorista, avançavam com a informação de mais de 70 pessoas mortas e mais de uma centena de feridos.

Segundo revelam alguns órgãos de Comunicação Social franceses, a situação ocorreu quando um veiculo pesado de mercadorias percorreu o designado Passeio dos Ingleses a alta velocidade lançando-se contra a multidão, arrastando tudo o que apanhou pela frente durante cerca de dois quilómetros.

Publicidade
Publicidade

O “Promenade des Anglais” é um ponto turístico de excelência daquela cidade do Sul de França e no local estavam concentradas centenas de pessoas para celebrar o final das comemorações do Dia de França, para onde estava previsto um espectáculo de fogo-de-artifício.

As autoridades não tiveram dúvidas em tratar aquele acontecimento, ocorrido próximo do Hotel Negresco, como um ataque terrorista, tendo a prefeitura lançado de imediato um aviso para que os residentes ficassem nas suas casas. Entretanto, a polícia implementou um perímetro de segurança, tendo sido accionados para a zona um elevado número de agentes policiais, militares, bombeiros e outros meios de segurança e de emergência. Algumas testemunhas oculares relataram que, no meio do pânico, ouviu-se uma troca de tiros, avançando com a informação que a polícia terá abatido o condutor do camião.

Publicidade

O presidente François Hollande, que estaria a assistir ao festival de teatro de Avignon, regressou de imediato a Paris para se reunir com a célula de crise, onde participam, também, o primeiro-ministro e o ministro do Interior, Manuel Valls e Bernard Cazeneuve, respectivamente. Aquele atentado ocorreu no mesmo dia em que François Hollande anunciou, numa entrevista, que até final do mês seria levantado o estado de emergência que está em vigor desde os atentados terroristas de 13 de Novembro do ano passado, em Paris. Entretanto, o Presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, enviou já ao seu homólogo francês, um telegrama de condolências e solidariedade pelo “bárbaro atentando acabado de cometer em Nice”.

#Terrorismo #Crime #Violência