Tudo aconteceu minutos antes do embate deste domingo, 13 de Fevereiro, entre #Flamengo e #Botafogo, um clássico do Campeonato Carioca. O clima que se fazia sentir em redor do Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro, não era o mais tranquilo. Os adeptos das duas equipas envolveram-se em confrontos e, durante o #tiroteio, um adepto da equipa visitante foi atingido com um tiro no peito, acabando por morrer horas depois no hospital. Além da vítima mortal, foram registados oito feridos.

Segundo dá conta o jornal Extra, o adepto que morreu, de nome Diego Silva dos Santos, tinha 28 anos de idade e chegou a ser transportado para o Hospital Salgado Filho, onde não resistiu aos ferimentos e acabou por morrer.

Uma notícia emitida hoje pela Agência Lusa afirma que testemunhas do sucedido disseram que várias pessoas dispararam de dentro de um carro, acabando por atingir Diego Silva, que se encontrava no exterior do estádio com dois amigos, mais concretamente junto à entrada da ala norte. Os indivíduos que se encontravam consigo sofreram alguns ferimentos.

Ao todo, nove pessoas foram levadas para o Hospital Municipal Salgado Filho. Diego Silva dos Santos acabou por falecer, quatro já receberam alta hospitalar e três permanecem internados nesta unidade. Além destas vítimas, há ainda uma outra, em estado bastante grave, uma vez que foi atingida por um tiro no rosto.

Apesar da tragédia que antecedeu o encontro entre as duas equipas brasileiras e de alguns pedidos para que o mesmo fosse adiado, o jogo chegou mesmo a concretizar-se. O Flamengo venceu a equipa visitante por 2-1 e, obtido este resultado, alcançou mais um objetivo: o apuramento para as semifinais do campeonato regional do Rio de Janeiro.

O Botafogo, descontente com o sucedido, emitiu uma nota de imprensa que repudia claramente a violência que marcou os minutos anteriores ao clássico. “Para o clube, futebol começa com paz nos estádios e segurança para os torcedores”, afirmou a direção da equipa, acrescentando que o futebol não pode combinar com este clima de medo e insegurança.