Um bebé está hospitalizado, em estado crítico, lutando pela vida, depois de ter sido baleado dentro da barriga da mãe. A progenitora, uma jovem de 29 anos, e com nove meses de gestação, foi atingida a tiro durante uma operação que envolveu polícias e presumíveis traficantes de droga. A situação fez com que os médicos tivessem de realizar uma cesariana para retirar o bebé. Mas a criança sofreu diversas lesões e as próximas horas serão decisivas.

A trágica ocorrência aconteceu ao final da tarde de sexta-feira, 30 de Junho, na Favela do Lixão, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense (Rio de Janeiro, Brasil). Segundo o jornal O Globo, os polícias militares revelaram que Claudineia dos Santos Melo, de 29 anos, estava grávida de nove meses e foi atingida com “estilhaços de tiros”, alegadamente disparados por supostos traficantes, no âmbito de uma operação policial.

Publicidade
Publicidade

No depoimento, os militares contam que se encontravam numa viatura numa das ruas de acesso à conhecida favela, quando um grupo de suspeitos começou a disparar vários tiros. Terá sido nesse momento que a jovem Claudineia, que estava sozinha num mercado, terá sido atingida na zona pélvica.

O mesmo jornal brasileiro dá conta, ainda, que a Prefeitura de Caxias tornou público, numa nota de imprensa, que a jovem grávida foi encaminhada para o Hospital Dr. Moacyr Rodrigues do Carmo, consciente, tendo sido submetida a uma cesariana de emergência. Após o nascimento da criança, os médicos acabaram por concluir que o bebé tinha sofrido diversas lesões, consideradas críticas, alegadamente devido a dois tiros. Ferimentos graves que obrigaram os clínicos a entubar a criança e à realização de exames complementares, que revelaram ferimentos ao nível do tórax, fractura da clavícula e traumatismo craniano.

Publicidade

Um diagnóstico considerado “muito crítico”, que obrigou à transferência da criança, em cuidados intensivos, para uma unidade hospitalar de Saracuruna.

O mesmo jornal de referência no Brasil revela que a criança se encontra hospitalizada na unidade neonatal do Hospital Adão Pereira Nunes, com ferimentos que a colocam entre a vida e a morte, em que as próximas horas “serão fundamentais” para a sua recuperação, estando a ser acompanhada por uma equipa médica multidisciplinar constituída por obstetra, pediatra, anestesista e cirurgião. Claudineia dos Santos Melo sobreviveu e encontra-se numa situação clínica estável. #Crime #Casos Médicos #Polícia