Remake do filme "Karatê Kid - A hora da Verdade" produzido em meados da década de 80, tendo como protagonistas os atores Pat Morita (Mr Miyagi) e Ralph Macchio (Daniel LaRusso), essa versão de 2010, produzida pelo ator Jackie Chan na verdade deveria ser chamada de "KungFu Kid", uma vez que as cenas se passam na China e a luta praticada por Dre Parker, interpretado por Jaden Smith é o Kung-Fu.

Nessa adaptação, o menino Dre Parker enfrenta alguns problemas como por exemplo a diferença de fuso horário, os hábitos, costumes e língua diferentes, mas também - comum a todas as crianças em idade escolar - o bullying.

Ao tentar fazer amizade com uma menina, Meiying (Han Wenwen), Dre Parker acaba atraindo a fúria de Cheng (Zhenwei Wang) que interpreta o típico menino líder de grupo que, por ser praticante de Kung-Fu, acha que deve impor o respeito das pessoas à sua pessoa e personalidade.

Publicidade
Publicidade

Garotos que andam em grupos tendem a se comportar como maus elementos, divertem-se praticando atos inadequados que mancham a honra e o caráter de cada um.

O filme demonstra que as boas práticas de educação tendem a moldar o caráter de um homem, e é justamente isso que a sociedade necessita e quer. Pessoas que tenham bons hábitos e que possam ser úteis à sociedade e ao mundo.

Diferente apenas da primeira exibição do filme, veiculado em 1986, ao final os alunos da academia rendem homenagens e respeito ao mestre de Dre Parker, o Mr. Han, reconhecendo nele um Grande Mestre de Artes Marciais, que impôs o devido respeito pela prática correta da arte marcial, ou seja, de defesa pessoal e de modos do jovem Dre Parker.

Assim como ocorreu em Karatê Kid, quando o Mr. Miyagi pede a Daniel Sun que encere o chão da varanda da casa, pinte as estacas ao redor da casa, encere e dê polimento aos carros estacionados no quintal, Jackie Chan educa o menino Dre Parker naquilo que ele tem de teimosia e desrespeito à sua mãe, que é jogar a jaqueta ou blusa no chão quando chega em casa.

Publicidade

Chan ensina o menino a tomar modos e a aprender a retirar e colocar a blusa pendurada.

Nos dois momentos não compreendi que os movimentos feitos por Daniel LaRusso e Dre Parker eram na verdade parte do treinamento e golpes principais nas duas artes marciais, o Karatê e o Kung-Fu.

Entretanto o fato notado é que ambas as lutar marciais se valem de movimentos de animais para a defesa e controle emocional, daí que ao vermos tantos praticantes de kung fu nas ruas e nas praias podemos compreender que os movimentos são apenas uma forma de fazer com que o praticante tenho auto-controle sobre suas emoções e aja com racionalidade para enfrentar os desafios que se lhe apresentam.

Ao final, durante o torneio, cenas como a do Mestre de Cheng em que ele pede a um dos lutadores para que aja em atitude anti-desportiva demonstram o caráter maléfico de certos treinadores que não suportam o fato de ver alguém brilhar à custa dos mais altos gestos de esportividade e espírito competitivo. Sua atitude não é apenas uma demonstração de que isso acontece nos meios esportivos, mas também para outras áreas e aspectos da sociedade.

Publicidade

Vencer o medo é algo que devemos aprender a dominar, e somente quem possui a derradeira confiança é que conseguirá vencer as barreiras do medo. Mas também, não devemos vencer o medo utilizando-nos da raiva, porque esta cega o homem, e o que precisamos é de clareza de pensamentos para enfrentar os desafios que surgem.

Esta versão com Jackie Chan também emociona, mas somente quem enfrentar a vida com sacrifícios é que sabe o valor que tem uma vitória. #Filmes #Cinema