Na baixa do Porto, na rua de Sá da Bandeira (junto à entrada do mercado do Bolhão), existe um café único na história da cidade e do país. A Casa Christina está aberta há 210 anos, sempre com a mesma missão: fornecer café aos portuenses. Hoje, mais que um simples café, é um modo diferente de o consumir e um repositório de História e de histórias. O café surgiu em 1804, apenas 3 anos antes do início das invasões francesas, que se iriam abater de forma mais pesada em 1809 com a chegada do exército de Soult. Passada a tormenta, o seu fundador José Iria Carvalhal rebaptizou-o em 1813 como Casa Christina, em homenagem à sua esposa. Funcionando inicialmente na rua do Bispo, o espaço mudou-se para a rua Sá da Bandeira nos anos 20 do século passado.

Publicidade
Publicidade

A compra pelo grupo Nestlé, em 1987, assegurou a continuidade da marca e das suas características distintas.

Os portuenses, e agora também os turistas, chegam ao espaço em busca da possibilidade de escolher e moer o seu próprio café, personalizando e adaptando totalmente ao seu gosto. São muitos os clientes de hoje, nas casa dos 60 e 70 anos de idade, que vinham com os seus pais e avós, desde crianças, a este espaço. E embora o mercado do café esteja a ser revolucionado, nos últimos anos, pelas cápsulas especializadas e pelas máquinas que vieram trazer uma grande diversidade ao consumidor de café, a Casa Christina não teme a concorrência.

Por um lado, a tranquilidade que lhe dá o peso da história: o estabelecimento já passou por guerras, crises, revoluções - várias delas centradas no Porto, como o cerco durante a guerra civil, a revolta republicana de 1891 ou o reviralho de 1927 - e também por períodos de escassez e quase racionamento, como durante a segunda guerra mundial, e ultrapassou tudo isso.

Publicidade

Mas além disso, o facto de a personalização que a Casa Christina permite ser ainda superior à dos players das cápsulas, evitando questões de desperdício e permitindo sempre total personalização - e também a mesma experiência de novos sabores e aromas, da Arábia e África ou Amazónia. #Turismo

Além disso, a Casa Christina adapta-se aos tempos. A partir de 2008 passou a ter serviço à mesa próprio - assim se tornando um verdadeiro café, onde o cliente pode, da mesma forma, escolher o que vai consumir. Um serviço de luxo, mas que vai atraindo curiosos de todas as paragens - sempre atraídos pelo cheiro característico do estabelecimento, onde há sempre café a ser moído. Sem dúvida uma referência na cidade do Porto.